Animação de loading

Hotel Parque Serra da Lousã e Centro de Acolhimento de Refugiados em destaque

O XVIII Aniversário da Fundação ADFP marcado por várias inaugurações

A inauguração do Hotel Parque Serra da Lousã e a do Centro de Acolhimento de Refugiados, em Penela, foram os destaques das celebrações do XXVIII Aniversário da Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, que contou com outras visitas inaugurais, dia 7 de Novembro.

Pelo meio-dia registou-se a visita inaugural do “Paz-Centro de Acolhimento de Refugiados” em Penela, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Penela, Luís Matias, e de Jaime Ramos, Presidente do Conselho de Administração da Fundação ADFP, juntos nesta iniciativa, que contou com inúmeros convidados, mas ainda sem a presença de parte dos refugiados (3 famílias de 14 pessoas sírias e sudanesas), que só chegaram ao fim da tarde. No domingo chegou outra família , casal e quatro crianças incluindo um bebé de meses .

“Quero agradecer a Luís Matias, que nos apoiou desde o início com notável espírito de colaboração, para além da ACNUR(Agência da ONU para os Refugiados) e do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras”, referiu Jaime Ramos.

O Presidente do Conselho de Administração da Fundação recordou que “o sucesso na integração destas famílias acontecerá se estas famílias puderem, ao fim de 10 meses, serem autónomas e gozarem de independência sócio-económica

“Há quase dois anos manifestámos o interesse em testarmos num território de baixa intensidade, um projecto que ainda não tinha sido testado em Portugal, actuando de uma forma comprometida e responsável”, sublinharia Luís Matias,

acrescentando que “se cada concelho acolher 20 pessoas, como Penela, preencheríamos todos as necessidades e duplicaríamos as respostas a este tipo de necessidades”.

“A decisão de avançar para este projecto veio das várias perspectivas de olhar o mundo, visão essa que a ADFP e o município de Penela tiveram”, concluiu.

O Paz/Peace-Centro de Acolhimento de Refugiados em Penela é uma construção moderna, inicialmente vocacionada para um bairro social, com apartamentos T3, bem mobilados, muitos deles com vista para um pátio relvado.

Pelas 13h00, foi a vez de Margarida Mano, a nova Ministra da Educação no governo de Passos Coelho, também acompanhada pelo Presidente da Fundação, Jaime Ramos, a descerrar a placa alusiva à inauguração do Hotel Parque Serra da Lousã, unidade de 4 estrelas, no Parque Biológico.

No Business Center do Hotel Parque, com uma mesa de honra com o presidente da Assembleia Municipal, João Mourato, a vice-presidente da Câmara, Ana Gouveia, Jaime Ramos, a Ministra Margarida Mano e a Diretora do Hotel, Fátima Ramos, foi o Presidente da Fundação a tomar a palavra:

“Este Hotel é um projecto importante, bem como o do Templo Ecuménico que estamos a construir. Um hotel amigo das crianças, com quartos comunicantes para as famílias , e alguns destinados a pessoas com dificuldades motoras . Um Hotel que não exclui pessoas com deficiência motora .

Os quartos estão decorados com o tema dos deuses da clássica mitologia greco-romana”.

Jaime Ramos revelaria ainda que “estão previstos construir mais 2 a 3 quartos em madeira junto aos animais da Zona de Vida Selvagem, no que é uma proposta completamente diferente, que permita uma experiência única em Portugal. Queremos um hotel com serviço de qualidade , com simpatia e profissionalismo . Queremos que as pessoas venham fiquem, voltem e digam aos amigos para vir”.

“Este é um projecto que visa o desenvolvimento regional criando mais emprego”, diria Jaime Ramos, que agradeceu a presença de alguns agentes hoteleiros das proximidades, exemplo de concorrência saudável, que permite também a cooperação dos empreendimentos turísticos da região.

Já Margarida Mano, cujo pai é um mirandense do Carapinhal, veio de Lisboa “não tanto pela inauguração do hotel, mas para estar no aniversário de uma obra que aprecio profundamente”, e pediu “uma salva de palmas para todos aqueles que a fizeram e para os que dela beneficiam ao longo dos anos”.

Mas as comemorações começaram logo pela manhã, com o hastear da Bandeira Nacional no Centro Social Comunitário-Sede, a inauguração de viatura automóvel de 9 lugares para apoiar valências sociais, e do Gabinete de Inserção Profissional Inclusivo, aqui com a presença da diretora do Centro de Emprego do Pinhal Norte, Fernanda Dias, para pessoas com deficiência no Mercado Municipal, prosseguindo com uma visita às novas plantações de vinha nas encostas de Lamas/Vila Seca, e outra,pré-inaugural, à Adega, no Parque Empresarial de Miranda. Depois, visita ao prédio da Rua da Coutada, futura casa destinada a acolher eventualmente mais refugiados ou pessoas com necessidades sociais, e passagem pela casa adquirida em Pais Viegas, contígua à Loja de Artesanato do Parque, antes da ida ao Fumeiro e Queijaria, já prontos, mas ainda a aguardar licença camarária para começar a laborar.

Do programa constaram também as estufas hortícolas da quinta de Cadaixo.

Este programa de aniversário revelou uma instituição empreendedora, criadora de emprego e com um dinamismo que a coloca como líder do desenvolvimento local. Esta capacidade criadora da ADFP torna-se mais evidente se recordarmos que já em 2015 a Fundação inaugurou a Residência Respeito para 30 pessoas com deficiência, tem em construção o Museu do Mel e em Setembro iniciou a obra do Templo Ecuménico e Universalista. A dinâmica da ADFP transforma-a num exemplo único em termos da região e mesmo do país.


Comentários