Animação de loading

Fundação ADFP assina Protocolo de criação de Gabinete de Inserção Profissional para pessoas com deficiência e doença mental

GIP inclusivo

A ideia de criação de GIP inclusivos nasceu de uma proposta feita pela ADFP ao Secretário Estado do Emprego durante uma visita a instituição mirandense.

Nessa visita estava presente a UGT, representada por Ricardo Pocinho, entidade parceira da Fundação ADFP na criação do CETIS, centro de estudos para o trabalho e inclusão social.

O CETIS teve vida curta devido à falta de apoio da câmara de Miranda que tinha garantido apoiar o gabinete cedendo instalações.

O Dr. Octávio Teixeira ficou sensibilizado pela proposta de criação de Gabinetes de Inserção Profissional para pessoas com necessidades especiais tendo prometido de imediato que iria tentar criar condições legais para a criação desses gabinetes

A Fundação ADFP, representada pelo Vice-Presidente Quirino Dias São Miguel, acompanhados pelos Coordenadores, Fátima Ramos e Fernando Marques, esteve presente na Cerimonia oficial de assinatura de protocolos, que teve lugar na CERCI Cascais, no dia 16 de Julho, e que foi presidida por sua Excelência o Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

Trata-se de um projeto inovador, que tem como parceiros o Ministério da Segurança Social, o IEFP e 8 instituições de Portugal que se distinguem no trabalho de inclusão que realizam. Entre estas 8 instituições, temos a Fundação ADFP. De acordo com a nota de imprensa do IEFP, "como resposta às necessidades permanentes das pessoas com deficiência e incapacidade ao nível da integração no emprego, e com o objetivo de reforçar o trabalho desenvolvido pelo serviço público de emprego, foi criada uma rede constituída por oito estruturas promovidas por entidades especializadas no domínio da reabilitação profissional, designada de rede GIP Inclusivo, vocacionada para o apoio à inserção profissional das pessoas com deficiência e incapacidade.

O combate ao desemprego deve ser a maior preocupação do país. Estes gabinetes servem para apoiar as pessoas com deficiência na procura de trabalho. Trata - se de projetos com muito interesse dado que para além de terem como objetivo o combate ao desemprego, terão ainda uma especial preocupação com as pessoas mais vulneráveis.

Acreditamos que para o lançamento deste projeto foi importante o repto lançado por Jaime Ramos na visita realizada à Fundação ADFP pelo Sr. Secretário de Estado do Trabalho, Dr. Octávio Teixeira, que pôde na altura constatar o trabalho realizado pela Fundação ADFP neste âmbito, destacando o exemplo de integração de pessoas com deficiência nos quadros da Fundação (cerca de 20% dos trabalhadores).

Na apresentação do programa e ouvindo o Sr. Ministro da Segurança Social, Dr. Pedro Mota Soares, ficou expressa pelo próprio o fator do sector social ser de grande importância. Quer pelo apoio que dá às pessoas quer pelos postos de trabalho que cria. Na sua intervenção o Sr. Ministro referiu que entre 2010 e 2015 o sector social criou cerca de 50.000 postos de trabalho.

Num período em que o país esteve intervencionado , com muitas dificuldades financeiras, este número de postos de trabalho foi de facto muito relevante. Refira-se que a Fundação ADFP, no período em referência, criou 88 novos postos de trabalho, com um total de 286 .

O Sr. Ministro transmitiu mais uma vez, " a vontade do governo de continuar a cooperar com este tipo de Instituições, celebrando protocolos de cooperação. Criando verdadeiras parcerias público-sociais. .Parcerias que permitirão ao estado fazer mais, apoiando mais pessoas e bem distintas das parcerias público - privadas, feitas por governos anteriores, que muito contribuíram para aumentar o endividamento de Portugal."

Na Região Centro, o trabalho a desenvolver neste âmbito é garantido pela Fundação ADFP e pela CERCI Águeda, com quem ontem já foram estabelecidos os primeiros contactos para um trabalho de estreita articulação, que contará com o habitual apoio e supervisão do IEFP, através da sua Delegação Regional do Centro, do Centro de Emprego do Pinhal interior Norte e com especial incidência do Serviço de Emprego da Lousã.

Comentários