Animação de loading

“Mentes Brilhantes” grande vencedor do Prémio Manuel António da Mota 2015

Projeto da Fundação ADFP ganha 50 mil euros

Projeto da Fundação ADFP ganha 50 mil euros

“Mentes Brilhantes” grande vencedor do Prémio Manuel António da Mota 2015



O projeto da Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, “Mentes Brilhantes”, já no seu segundo ano de ação, tem como objetivo despertar os alunos do concelho para uma cultura científica que aumente o seu gosto pelo conhecimento, e foi o grande vencedor do Prémio Manuel António da Mota, atribuído dia 13 numa cerimónia na Alfândega do Porto. Ó prémio foi entregue pelo general Ramalho Eanes, ex-presidente da República

O “Mentes Brilhantes” promove uma comunidade escolar assente na partilha do saber, aproximando-a dos institutos de investigação científica, ao mesmo tempo, que se impulsiona a inclusão e a promoção de talento individual.

Sem substituir-se ao papel da escola quer potenciar os talentos dos alunos do concelho de Miranda do Corvo, prevenindo o desperdício de inteligência.

A fundação tem como parceiros o IEC, Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo, a Associação de Pais, e a Câmara Municipal de Miranda do Corvo que apoia financeiramente o projeto com a verba de 15 mil euros no ano letivo 2015/16.

Fernando Marques, coordenador da Formação Profissional, que representou a Fundação ADFP, após ter recebido o prémio no valor de 50 mil euros, declarou:

“Considero que é um projeto que pode ser disseminado geograficamente, alargado a outros concelhos, e que pode ter sucesso. Obrigado por terem acreditado em nós e acho que está aqui um incentivo tremendo para continuarmos a trabalhar”.

O primeiro ano foi só com as turmas de 4º ano do Centro Escolar. Este ano o laboratório "portátil" do "Mentes Brilhantes" já está a levar o projeto a todas as turmas de 4º ano de todas as escolas do primeiro ciclo do concelho de Miranda do Corvo. O projeto inclui a iniciação a matemática na Pré primária do Infantário da ADFP em Miranda.

Jaime Ramos, presidente da Fundação ADFP e mentor do projeto, especifica o que se pretende com este conceito pioneiro:

“O que se pretende é fazer ás crianças desafios intelectuais superiores àqueles que a escola faz para se detetar pessoas que sejam suficientemente brilhantes para se apostar num futuro de sucesso. Esta aposta impede o insucesso é promove o sucesso educativo. O país não pode continuar a desperdiçar os talentos das novas gerações. Temos na escola, na música, na matemática, nas ciências, nas artes como se faz no futebol e como se apostou, por exemplo, no Ronaldo”. Portugal pode ter no futuro pessoas Prémio Nobel como agora tem bons futebolistas. Jaime Ramos acrescenta " que se deve mudar o paradigma das nossas escolas deixando a atitude passiva de transmitir conhecimento para uma postura ativa de deteção e valorização de talentos individuais para melhorar a inteligência coletiva aumentando a capacidade competitiva do país."

Quanto à disseminação geográfica, Jaime Ramos pensa que “seria muito bom que esta experiência fosse assumida em termos nacionais porque, seguramente, tal como nós hoje temos no futebol um conjunto de grandes artistas e de grandes treinadores, se nós fizermos a mesma aposta nas diferentes áreas de saber teríamos prémios Nobel e grandes figuras a nível da ciência e da economia mundial ".

A fundação vai voltar a sensibilizar a CIM da região de Coimbra para os autarcas aproveitarem os dinheiros do Portugal 2020 dinamizando o projeto Mentes Brilhantes no distrito. Vários autarcas, nomeadamente de Penela, Lousã e Condeixa, já mostraram interesse para além da autarquia de Miranda.

Comentários