Animação de loading

Lince animal de Mês: Nasceram dois filhotes

Sucesso reprodutivo no Parque Biológico da Serra da Lousã

Duas crias de lince nasceram no Parque Biológico da Serra da Lousã, em Miranda do Corvo, na manhã de 25 de Abril e estão de perfeita saúde, sinal de sucesso reprodutivo mesmo em cativeiro, na Zona de Vida Selvagem.

 

O lince acasala entre Fevereiro e Março, dando à luz 2 a 3 crias após um período de gestação de 68 dias. Os recém-nascidos pesam entre 300 e 350g e são dependentes da mãe. São desmamados aos 4 meses e tornam-se independentes com cerca de 10 meses. Os machos não contribuem na criação da prole. O lince europeu pode sobreviver até 17 anos no estado selvagem e 24 anos em cativeiro.

 

O lince é um predador que pode pesar entre 15 e 28 kg, reconhecido pelo seu corpo curto, pernas longas e pés grandes. As orelhas têm na ponta um tufo preto característico, enquanto as patas têm garras retrácteis afiadas. O pelo é macio e denso e a sua cor varia de acordo com a localização da espécie, mas geralmente é desde cinza a avermelhada e mais ou menos manchada.

 

Coelhos e grandes roedores constituem a maior parte de sua dieta. São mais ativos durante a madrugada e à noite e passam o dia a descansar sob a vegetação, ervas altas, ou nas árvores. São principalmente terrestres, mas são hábeis em escalada e natação. Como animais solitários, o único relacionamento duradouro formado é entre mãe e filhotes, que em breve estarão visíveis para os visitantes do Parque que devem atingir os cem mil nos próximos meses.

Com este nascimento a Zona de Vida Selvagem passa agora a contar com cerca de 250 animais de 46 espécies, e na Quinta Pedagógica há mais 217 espécimes de 31 espécies de raças tradicionais portuguesas ligadas á agro pastorícia.

O Parque Biológico, para além do seu importante papel no domínio da biofilia e defesa da natureza,  é uma aposta humanista na criação de emprego de pessoas com necessidades .

especiais valorizando, pelo restaurante Museu da Chanfana, a gastronomia regional. O Parque possui ainda um conjunto museológico em expansão, com oficinas de artes e ofícios tradicionais onde pessoas com handicap produzem artesanato variado.

O Parque não pretende ser mais um zoo de animais exóticos  tendo como objectivo possibilitar aos visitantes conhecer a vida selvagem que habita Portugal ou que, habitou, como é o caso dos ursos pardos.

A qualidade ambiental é bem comprovada pelo bem estar animal traduzido nos níveis de reprodução. Recordamos que em 2012 no Parque Biológico em Miranda do Corvo nasceram lobos e um bebe urso que foi recentemente oferecido a um parque espanhol, para se garantir a  manutenção da espécie.

À entrada do Parque Biológico, principal  mostra de Vida Selvagem de Portugal, uma frase do Papa Bento XVI – “Se quer cultivar a paz proteja a criação” - mostra que se entra num parque temático diferente, onde os valores da cristandade e do personalismo também residem, para além dos aspectos sociais, ambientais e animais.

            O  Parque Biológico da Serra da Lousã orgulha-se do nascimento de sucesso de duas crias no mês de Abril, o que revela uma excelente adaptação dos animais ao recinto e um óptimo bem-estar. De salientar que os linces chegaram ao Parque Biológico no final de 2011.

A espécie presente no Parque é o Lince Euroasiático (Lynx lynx), no entanto, a espécie autóctone de Portugal é o lince ibérico (Lynx pardinus) que esteve em risco de extinção, estando neste momento a ser reproduzido num projeto ibéricos envolvendo os dois países.. Visto que o parque tem como objectivo dar a conhecer as espécies naturais de Portugal, obter exemplares de Lince Ibérico seria o ideal mas, devido ao seu estado de conservação, não é  possível. Assim, o lince eurasiático é uma boa opção e uma réplica idêntica que contribuirá para realçar a importância da proteção dos linces.

Comentários