Animação de loading

E participaram no programa que assinalou o Solstício de Inverno

Representantes da Fundação Pina Ferraz visitaram Fundação ADFP

Uma representação da Fundação Pina Ferraz de Penamacor visitou a Fundação ADFP e participou no programa para assinalar o Solstício de Inverno, dia 21 de Dezembro.

O Dr. Tomás Henriques, administrador executivo e a Dra. Sílvia Mendonça, diretora do Lar de Infância e Juventude da Fundação Pina Ferraz, ficaram impressionados com a diversidade de respostas sociais da ADFP, deixando o convite para futuras colaborações.

Visitaram, ainda, o recém-inaugurado Templo Ecuménico Universalista, com visionamento do meio-dia solar pelas 12h35, dentro do Templo. O Templo faz parte do Trivium, conceito constituído por Parque Biológico, que lembra a Igualdade da Vida, o Ecomuseu Espaço da Mente que exige a Liberdade e o Templo que apela à Fraternidade com a Natureza. Espaço que promove a tolerância perante todas as crenças e religiões, este é o primeiro Templo construído com um objetivo ecuménico, universalista, aberto a todos os crentes, de todas as religiões, incluindo ateus. O Templo vai integrar um Observatório de Religiões, apresentando 15 diferentes visões espirituais existentes no Mundo e uma síntese da barbárie que os fundamentalismos criaram ao longo de séculos.

A Fundação Pina Ferraz foi constituída em 1952 por doação de um enorme património. A instituição, para além da valência social de apoio à infância e juventude, assume diversas actividades de filantropia cultural e gere 7 mil hectares de propriedades agrícolas e florestais. Este imenso património permite-lhe ser um dos potenciais motores de desenvolvimento de Penamacor, um concelho vitima de enorme êxodo populacional. A instituição está a projetar a construção de um hotel, diversificando a sua actividade agroflorestal. O facto de a Fundação ADFP estar a realizar alguns investimentos no Fundão poderá permitir sinergias e parcerias entre as duas organizações, no objectivo de contrariarem o esvaziamento populacional do interior.

Comentários