Animação de loading

Dia Mundial das Religiões no Templo Ecuménico

Aniversário e caminhada num claro sinal de liberdade religiosa

Os jovens da Residência Fraternidade da Fundação ADFP organizaram uma caminhada ao Templo Ecuménico Universalista pelo Dia Mundial das Religiões.

Entre estes jovens existem vários desportistas, alguns federados, que formaram uma espécie de comissão organizadora. A Margarida que é praticante e federada na modalidade de judo, Eduardo que já organizou eventos equestres, a Raquel pratica futsal e a Juliana uma federada e deveras premiada praticante de trail.

Residentes no Lar de Infância e Juventude, um equipamento que apoia em regime de internato, 27 jovens entre os 12 e os 18 anos, de ambos os sexos e de diferentes religiões. Entre Católicos e testemunhas de Jeová, convivem de perto com outros adolescentes do complexo social da Fundação ADFP, entre os quais muçulmanos vindos da Guiné, ou refugiados da Síria.

Jovens que vivem no contexto de uma organização que acolhe em regime residencial 480 pessoas, do recém-nascido ao mais idoso, passando por um conjunto de problemáticas sociais como a deficiência, doença mental, sem abrigo, refugiados,… por isso sensíveis ao respeito e tolerância pela diferença.

A caminhada reuniu utentes, técnicos e colaboradores da organização que percorreram os 3 kms que distanciam o Parque Biológico da Serra da Lousã do Templo Ecuménico Universalista em trilhos que contornam o parque temático. Nestes caminhos a Fundação ADFP colocou bancos com frases emblemáticas que para além de promover o descanso aos caminheiros e desportistas, suscitam a reflexão num caminho que culmina no ponto mais alto do concelho, e onde se localiza o Templo.

Aniversário da Lucinda, a bebé portuguesa filha de refugiados

Lucinda, filha de Noura e Fawzi, dois refugiados sírios que a Fundação ADFP acolheu em 2016, comemorou esta semana o seu primeiro aniversário numa festa que reuniu dirigentes e colaboradores da ADFP, assim como amigos do casal.

Lucinda foi a segunda criança a nascer em Portugal, filha de refugiados. A primeira bebé, também ela de um grupo apoiado pela ADFP, está em Penela.

O simpático casal já fala muito bem português, Fawzi colabora na ADFP e tem sido o tradutor para os que vêm de novo para a Residência PAZ – um centro de instalação para refugiados.

O Centro de Instalação de Refugiados “Paz” é uma resposta que surge em 2014, no âmbito do Compromisso entre o Estado Português e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), com o objetivo de reinstalar refugiados que se encontravam no Egipto.

O primeiro polo em Penela foi pioneiro, pelo facto de instalar refugiados fora dos grandes centros urbanos. Depois de Penela criou-se o polo de Miranda. Durante este ano de 2017 foram acolhidas 7 famílias (6 da Síria e uma do Sudão) no âmbito do programa de reinstalação, num total de 29 pessoas. AS crianças e jovens estão integradas na escola, os adultos frequentam aulas de português com vista à integração social e profissional.

Deste último grupo, a maioria estão integrados ou em vias de se integrar profissionalmente em empresas ou organizações.

Nesta comunidade já nasceram dois bebés, portugueses, filhos de famílias sírias.

1º Templo Ecuménico e Universalista do Mundo | Observatório das Religiões

O primeiro Templo Ecuménico e Universalista do Mundo situa-se no topo da colina do Parque Biológico da Serra da Lousã e com vistas para os concelhos circundantes de Lousã, Vila Nova de Poiares, Penela e Coimbra.

O edifício configura uma pirâmide de base quadrangular, integrada numa vasta área florestal, e com uma envolvente repleta de símbolos e representações das várias religiões.

Integra um Observatório das Religiões, um espaço interpretativo e multimédia, das várias religiões existentes no mundo, com especial enfoque nas 15 mais representativas, onde se inclui o Ateísmo. Cada uma tem um módulo explicativo dos princípios que as rege e um mapa-mundo onde se localiza com mais expressividade.

Integra uma cronologia com os principais acontecimentos religiosos no decurso da humanidade fazendo um cruzamento entre factos e acontecimentos nefastos e positivos que decorreram sob o contexto ou pretexto religioso.

O Templo está aberto entre as 10 e as 17 horas, com fecho de uma hora para almoço. Na bilheteira é possível adquirir ingressos de entrada ou pacotes de visita que integra o Parque Biológico da Serra da Lousã e até mesmo refeições no Restaurante Museu da Chanfana. O sistema de bilheteira funciona em estreita articulação com o Parque Biológico, na medida em que o Templo pertence ao conjunto filosófico e turístico TRIVIUM.

O TRIVIUM é dedicado à liberdade, igualdade e fraternidade: o Parque Biológico representa o corpo e a igualdade do Homem perante todos os seres vivos; o Espaço da Mente, o desenvolvimento da mente e a liberdade de pensar e o Templo Ecuménico que representa, independentemente da fé de cada um, o espírito e a fraternidade.