Animação de loading

Centena e meia de pessoas resistiram à chuva durante a inauguração

Presépio Vivo do Parque Biológico da Serra da Lousã

 

A chuva inclemente não impediu centena e meia de pessoas de assistir à inauguração do Presépio Vivo, com a autarca mirandense Fátima Ramos, ao lado do vereador Sérgio Seco e do Anjo da Boa Nova , a cortar a fita vermelha, na tarde de dia 14, no Parque Biológico da Serra da Lousã.

Trata-se de um presépio em que as cenas natalícias são recriadas por utentes da Fundação ADFP de Miranda do Corvo, proprietária do parque, na sua maioria portadores de deficiência ou doença mental, e tendo também como figurantes animais da agro-pastorícia tradicional.

A Senhora do Ó ou Senhora da Conceição, grávida, lá está no estábulo, ao lado de São José, a manjedoura coberta de palha, ainda vazia até à noite de dia 24, data do nascimento do Menino Jesus, tornando-se Nossa Senhora no dia 25. Como está também o burro, a ovelha, a cabra. Tudo isto num espaço em frente ao picadeiro coberto, onde se encontram os estábulos dos cavalos e os currais das vacas de raças autóctones. Em frente ao presépio, uma grande fogueira, onde as pessoas se resguardam do frio e a água aquece nas panelas.

Ali perto a banca de uma tecedeira, já que consta que Maria era tecedeira, bem como a do carpinteiro, profissão de José. Mais além um oleiro faz girar a sua roda artesanal, em madeira e trabalha o barro para lhe dar as mais diversas formas. Logo a seguir o entrelaçar do vime.

“Profissões contemporâneas de Jesus de Nazaré, recriadas ao vivo por pessoas muito especiais”, como referiu o presidente da Fundação ADFP, Jaime Ramos.

Os visitantes do parque poderão adquirir nesta aldeia os produtos artesanais aí confeccionados.

Noutra cabana, os Aconchegos de Natal, nesta época chuvosa e fria, marcam presença o mel, a geropiga e licores produzidos no parque, ou o vinho, bem como os enchidos para assar e doces típicos da época como as rabanadas ou as broinhas.

Está enfim recriada uma aldeia dos arredores de Jerusalém, numa viagem que faz os visitantes recuarem mais de dois mil anos ao tempo de Cristo, dos romanos e dos judeus. Mas eis que de charrete chegou o Pai Natal, com um grande saco às costas a despertar a curiosidade de dezenas de crianças.

Vai ser assim todos os dias de manhã, das 10h00 às 12h30 e de tarde das 14h00 às 17h00, até ao dia 6 de Janeiro, em que os Reis Magos aparecerão montados a cavalo com as oferendas ao Menino Jesus.

As receitas desta 1ª edição do Presépio Vivo do Parque Biológico da Serra da Lousã, coordenado por Sofia Santos, são para benefício das valências que integram as pessoas com deficiência e doença mental e outras vítimas de exclusão social e laboral.

Comentários