Animação de loading

“EDP Solidária” premeia Fundação ADFP com 1º Prémio

Projecto Queijaria e Fumeiro no Parque Biológico da Serra da Lousã

A Fundação ADFP de Miranda do Corvo acaba de receber o prémio “EDP Solidária”, no valor de 75 mil euros, pelo seu projecto de Queijaria e Fumeiro, a criar no Parque Biológico da Serra da Lousã, numa cerimónia no Museu da Electricidade em Belém, no dia 28 de Junho.

O projecto vencedor visa readaptar infra-estruturas já existentes, numa unidade de transformação, com queijaria tradicional para transformar o leite produzido no Parque Biológico e com fumeiro tradicional. O objectivo é dinamizar actividades produtivas e possibilitar a integração profissional de pessoas com deficiência e/ou doença mental. Simultaneamente, o projeto permitirá a valorização e reabilitação do património cultural, vivências, artes e ofícios e aproveitamento da produção endógena.

Para receber o prémio a Fundação ADFP enviou uma delegação composta pelo vice-presidente Quirino São Miguel, Fernando Marques, Coordenador da Formação Profissional, Pedro Faria, Diretor do Parque Biológico da Serra da Lousã, Sofia Santos, Terapeuta Ocupacional/ Responsável Operacional do Projeto e Ana Fernandes, Engenheira Alimentar.

Este é já o terceiro prémio recebido pela Fundação ADFP em 2012, sendo o primeiro o BPI Capacitar, no valor de 50 mil euros, e o segundo, de 5 mil euros, do Instituto Nacional para a Reabilitação (INR), com a criação do Museu do Doce.

Neste último, os trabalhadores produzirão, colherão e confeccionarão produtos a partir de frutos cultivados no parque e visa a empregabilidade de pessoas com vários tipos de deficiências e dificuldades no acesso ao mercado de trabalho. O Museu do Doce terá para já 2 ou 3 postos de trabalho, que poderão aumentar com a produção e colheita dos frutos para confecção e venderá produtos do parque, das compotas às geleias, passando por marmeladas e doces.

O Parque Biológico da Serra da Lousã já teve mais de sessenta mil visitantes, desde a sua abertura em Junho de 2009, possuindo a melhora mostra de vida selvagem de Portugal, o Restaurante Museu da Chanfana “ex-libris” do parque e o Museu Vivo de Artes e Ofícios tradicionais, para além de um labirinto de árvores de fruto único no mundo e muitos outros motivos de atracção.

O Parque Biológico da Serra da Lousã, a 5 minutos da vila de Miranda do Corvo, é um projecto de turismo social e ambiental, que visa criar emprego e atividades ocupacionais para pessoas vítimas de exclusão, desempregados de longa duração, deficientes ou doentes crónicos, integrando-os, promovendo a igualdade e a dignidade humana e incentivando a biofilia e a paixão pela natureza.

Comentários