Animação de loading

O maior investimento desde há muitos séculos em Miranda

Hospital Compaixão: hospital dos vales do Ceira e Dueça/Corvo

A Fundação ADFP colocou a concurso público a empreitada de construção do Hospital Compaixão.

A previsão orçamental para o custo da sua construção aponta para cerca de 4 700 000,00 €.

O Hospital localizar-se-á, num terreno com a área de 9 819.00 m², anexo ao Centro Social Comunitário , complexo com área total de 40.000 m² e onde já existem serviços de saúde nomeadamente clínica de medicina física e de reabilitação e cuidados continuados de longa e média duração.

Este conjunto social integra um vasto número de infraestruturas, onde vivem cerca de 260 pessoas (crianças, jovens, adultos com doença mental e/ou deficiência e idosos) numa aposta no convívio intergerações e na inclusão.

Esta iniciativa da ADFP tem como objetivo dotar Miranda do Corvo e os concelhos vizinhos de valências médicas e cirúrgicas com a possibilidade de realização de exames auxiliares de diagnóstico.

O Hospital é um investimento destinado a promover a qualidade de vida, o bem-estar e saúde na sua área de influência criando emprego especializado e reforçando a coesão social do território.

O Hospital Compaixão terá uma área de implantação de 1 746.00 m² e uma área de construção de 4 225.98 m² distribuída por três pisos.

A unidade de saúde será constituída, por um bloco operatório, com duas salas de cirurgia, área de urgência, sector de ambulatório, consultas externas e internamento (55 camas).

Está ainda contemplada uma área para exames complementares de diagnóstico, por imagem no âmbito da tomografia axial computorizada (TAC), ecografia, radiologia geral, cardiologia, pneumologia e patologia clinica (análises clinicas).

Estão previstos 257 de lugares de estacionamento, 60 públicos e 197 privados que servirão os doentes, visitantes e funcionários.

Este investimento tem uma previsão de custo final superior a 7 milhões de euros. A Câmara Municipal concederá um apoio de 550 mil euros para a construção civil e 250 mil euros para o equipamento que será já colocado em fase de obra como todo o equipamento de AVAC (Aquecimento, Ventilação e Ar Condicionado) e SCI (Segurança Contra o Risco de Incêndios).

Este projeto foi elaborado pelo Gabinete de Engenharia e Património da Fundação ADFP, onde estão integrados colaboradores com necessidades especiais, incluindo duas engenheiras com deficiência. Esta equipa teve ainda o apoio externo de áreas especializadas de engenharia nomeadamente eletrotecnia e Eletromecânica e ar condicionado. A equipa técnica projetista é liderada pela Eng.ª Maria Gabriela Costa Andrade Morais que trabalha há 25 anos na ADFP.

O Hospital Compaixão traduz o maior investimento privado, de interesse público, realizado no concelho de Miranda do Corvo desde a construção do Convento de Semide iniciado no séc. XII.

A previsão para a conclusão do investimento aponta para 2019.

Com este investimento a Fundação ADFP reforça a sua vocação na área assistencial e de desenvolvimento regional.

A Fundação ADFP, Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional assume, para além do seu papel caritativo de solidariedade, uma visão de promoção de valores civilizacionais humanistas razão porque atribui as suas unidades residenciais nomes como: liberdade, fraternidade, igualdade, bondade, esperança, gratidão, respeito, coragem...

O nome Compaixão atribuído ao futuro Hospital insere se nesta vocação da Fundação de assumir publicamente que as pessoas precisam de resposta às suas necessidades básicas, "biológicas", mas que nunca se deve perder a dimensão humana e espiritual da pessoa que necessita de apoio seja social ou de saúde.

Esta vocação da ADFP justifica que mantenha uma intensa atividade no plano cultural com sala de cinema, biblioteca itinerante, ecomuseu, etc.

Para promover o respeito e a tolerância perante a diferença a Fundação acolhe Refugiados e está a construir um Templo ecumênico universalista que será inaugurado em 2016.

Comentários