Animação de loading

Miranda do Corvo na “rota” da Terra Solidária

Parque Biológico da Serra da Lousã promove vindimas

A Fundação tem realizado um conjunto de investimentos, tendo como principais objetivos a criação de emprego sustentável para pessoas com necessidades especiais, vítimas de exclusão laboral, com deficiência ou doença mental.

Uma das áreas de investimento, associados ao Parque Biológico da Serra da Lousã, é a produção agropecuária, sendo a vinha um dos sectores preferenciais.

A pequena produção até agora registada, assente em dois hectares da Serra de Sicó, em Penela e Miranda, irá ter um aumento exponencial em 2015/2016, com o início de produção em vinhas recentemente adquiridas ou plantadas e que no espaço de três anos aumentará para 19 hectares.

Iniciativo Clube UNESCO Trivium

De 22 a 24 de Setembro realizaram-se as vindimas, uma tarefa agrícola da área da vinicultura, mas também um pretexto de socialização, de transmissão de cultura e valores de cidadania.

A apanha das uvas foi pretexto para uma atividade que juntou seniores e crianças, pessoas com mais ou menos necessidade especiais, num espírito de interajuda e convívio intergeracional.

Das crianças do Centro Infantil aos idosos da Residência Cristo Redentor, passando pelo Centro de Atividades Ocupacionais e os jovens do Lar de Infância e Juventude, foi um total de 50 utentes que participaram de forma voluntária e recreativa.

Aproveitando o tema do projeto educativo para o Jardim-de-infância do Centro Infantil - “À descoberta de Miranda. Descobrir as atividades mais importantes para o desenvolvimento local" – as uvas, o vinho, a criação de cabras, a gastronomia tradicional, o vasilhame em barro, no seu conjunto caracterizam e marcam a especificidade de Miranda do Corvo e podem ser visitados no Parque Biológico da Serra da Lousã.

Esta atividade levou a chancela do Clube UNESCO Trivium, por ser uma iniciativa que promove valores civilizacionais e cultura, numa lógica de educação e intergeracionalidade.

Recordamos que a Comissão Nacional da UNESCO criou, com a Fundação a ADFP, um clube para o desenvolvimento de iniciativas que congreguem pessoas sem olhar a idade, género, etnia ou extrato social, promovendo a igualdade, liberdade e fraternidade entre todos.

Vinho “Terra Solidária”

Relativamente à produção de vinho, a Fundação iniciou em junho a construção de uma Adega, em edifício existente na Zona Industrial de Miranda do Corvo, uma área de 800 m2, incluindo para além da área de vinificação, um laboratório e uma sala de provas, bem como uma cave para "reserva" de vinhos e espumantes, num investimento de 600 mil €, obedecendo aos mais recentes padrões de qualidade na produção vinícola.

Criou a marca “Terra Solidária” cujo vinho tinto está no mercado desde 2012, e em 2013 já com uma pequena produção de Vinho Branco, alarga em 2014 o seu leque de produtos com um "apelativo" Vinho Rosé e, brevemente, também com o Espumante "Terras de Xisto”.

O cultivo e produção de vinho entram na estratégia de diversificação de atividade da Fundação ADFP, criando postos de trabalho para pessoas com necessidades especiais e criação de receitas que a tornem menos dependente do Estado.

Neste sentido, a área de produção agropecuária da Fundação ADFP, que está associada ao Parque Biológico da Serra da Lousã, permitiu já a criação de duas dezenas de postos de trabalho para pessoas marginalizadas face ao mercado laboral.

Comentários