Animação de loading

Fundação ADFP retoma protocolos com Liceus profissionais franceses para centro de estágio de alunas

O protocolo que existe com ambos os 2 liceus existe há mais de 10 anos

23 Novembro 2022 | Social, Mulheres, Idosos, Deficiência, Saúde Mental, Apoio à Comunidade, Saúde, Cultura, Turismo, Serviços, Educação e Formação, Visitas, Eventos, Fundação ADFP

O “Lycée Technique Jeanne Delanoue” e o “Lycée Professionnel Le Val De L'Ouin”, instituições de ensino profissional francesas, parceiros da Fundação ADFP há cerca de 10 anos, enviaram cerca de 11 alunas, na totalidade dos dois liceus, para intercambio em protocolo de estágio em algumas das valências sociais da instituição.  

O primeiro grupo de alunas veio do “Lycée Professionnel Jeanne Delanoue”, em Cholet, acompanhadas da Professora Véronique Gabaret, estiveram ambas durante cerca de 2 semanas, a estagiar no Centro de Dia e no Centro Infantil da Fundação ADFP. 

Este liceu francês é um liceu privado, com Centro de Formação Continua e Aprendizagem, possibilitando acesso a candidaturas posteriormente ao ensino superior, contando com diversos cursos desde a Moda; Laboratório e Ambiente; Gerontologia Social; Saúde, Social e Animação; Artes; Hotelaria e Restauração / Turismo, entre outros.  

O segundo grupo, vindo diretamente do “Lycée Professionnel Le Val De L'Ouin”, acompanhadas das Professoras Martine Tyrlik e Berengere Bazanlay, esteve também cerca de 2 semanas, sendo que as alunas estiveram a estagiar no Centro Infantil, CACI – Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão, Centro de Dia, e Parque Biológico da Serra da Lousã. 

Já este liceu dispõe também de diversos cursos de Formação Continua e Profissional, desde Técnico(a) de Acompanhamento Veterinário; Serviço às Pessoas e Territórios; Cuidados Maternais; Acompanhamento Educativo e Infantil; Serviços Agrícolas, entre outros.  

Em ambos os grupos, as alunas desempenharam inúmeras atividades nas respetivas valências, para além de terem tido a oportunidade de contribuir na realização das tarefas inerentes ao dia-a-dia de ambos os espaços, também aprenderam alguns dos nossos costumes, tradições, degustaram alguns dos nossos pratos, e inclusive puseram “as mãos na massa”, aprendendo a fazer broa, broas doces, arroz doce, assaram castanhas, sendo que no caso do segundo grupo, houve ainda a possibilidade de acompanharem os utentes do Centro de Dia , Residência Sabedoria, Serviço de Apoio Domiciliário, Centro Social de Lamas, Residência Esperança, e ainda dois jovens utentes do CACI, a um bonito, e muito desejado pelos utentes, passeio ao Santuário de Fátima, ficando a conhecer um dos principais pontos de interesse turístico religioso nacional, equiparado por exemplo ao Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, em França. 

“Ainda vítima de estigma, o ensino profissional é um caminho válido para uma profissão. O ensino profissional era, em 2018, a opção de cerca de 39,3% dos alunos do ensino secundário em França. A taxa de emprego dos licenciados caiu de 72,2%, em 2018, para 68,8%, em 2019, valores significativamente abaixo da média de 79,1% da UE.

A reforma do ensino secundário profissional, iniciada em 2018, continua em curso, sendo que dela já resultaram, em 2019, com novos horários e uma nova organização pedagógica: melhor articulação entre as disciplinas vocacionais e gerais e mais orientação vocacional no último ano”, salientaram as professoras do Lycée Professionnel Le Val De L'Ouin. 

“A crise da covid-19 afetou o recrutamento de estagiários. O Governo tem dado apoios financeiros às empresas para a sua contratação. Desde 2017, nas regiões metropolitanas francesas funcionam programas de estudos técnicos superiores, de três anos, para encorajar os alunos dos cursos profissionais secundários a continuar a estudar.

Fortalecer a ligação com o mercado laboral, aumentar a formação em contexto de trabalho, conseguir mais vagas para estágios, pensar a rede regional e nacional de escolas profissionais, são atualmente as principais apostas do ensino profissional francês”, conclui a professora Véronique Gabaret, do Lycée Technique Jeanne Delanoue. 

Todas as professoras concluíram que “É bom estarmos de volta à parceria com a Fundação ADFP, e com a retoma dos nossos protocolos de estágio com esta instituição tão multifacetada e especial. Para nós e para os alunos é verdadeiramente enriquecedor e inspirador poder fazer parte do contributo para vossa gigante obra social”.  

Para concluir, Cristina Cruz, Diretora Técnica do Centro de Dia e da Universidade Sénior da Fundação ADFP, e responsável deste projeto de intercâmbios, salientou que “Depois de 15 dias connosco os grupos de estagiárias voltam para França e vão de coração cheio, levando também um bocadinho do nosso. Ao princípio tiveram dificuldades em acompanhar o ritmo dos nossos utentes, mas depois habituaram-se muito bem, e afinal só têm 17 anos.” 

“Levaram daqui muitas aprendizagens, mas mais amizade e carinho. Chorámos todos na despedida, não sabendo se nos voltaremos a ver, mas absolutamente certos de que nunca nos vamos esquecer uns dos outros”, concluiu.

A Fundação ADFP prova assim ser, mais uma vez, a mais eclética, a mais inclusiva, mas também a mais inovadora IPSS a nível nacional, e cada vez mais uma Instituição de interesse internacional.

 

Comentários