Animação de loading

Fundação ADFP participou no Encontro Final de Boccia Sénior

Na abertura Oficial da Bocciateca da APCC

A Fundação ADFP, com os seus utentes dos lares e centros de dia, participou no encontro final de Boccia Sénior e na abertura Oficial da Bocciateca, organizados pela Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC), dia 19 de Dezembro 2016.

Os utentes do Centro de Dia de Lamas ficaram em terceiro lugar.

A Bocciateca, criada pela APCC é um centro de recursos para o boccia, que é o primeiro do seu género a ser criado em Portugal. Funcionando no Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral, a Bocciateca permitirá a qualquer instituição interessada em fomentar o boccia sénior entre os seus utentes requisitar todos os equipamentos necessários.

Através deste centro, a APCC – pioneira no boccia em Portugal – estará também disponível para dar formação a professores e outros técnicos, bem como outros apoios que sejam solicitados. O objectivo é estabelecer um programa estruturado para a prática do boccia sénior na região, aliando atividades desportivas, de lazer e de competição. A Bocciateca da APCC foi um dos projetos distinguidos na edição de 2015 do Prémio BPI Seniores [BPI Solidariedade], que reconhece e apoia iniciativas que promovam a melhoria da qualidade de vida e o envelhecimento ativo de pessoas com idade superior a 65 anos.

No encontro, em que se privilegiou o convívio e a boa disposição, estiveram representadas a APCC, o Ateneu de Coimbra, a Santa Casa da Misericórdia de Condeixa-a-Nova e a Fundação ADFP de Miranda do Corvo, a qual participou com cinco equipas cada, representando uma das valências seniores: Residência Sabedoria, Gratidão, Cristo Redentor e Centro Social de Lamas.

O professor de Educação Física na Fundação, Francisco da Silva, destaca que o boccia sénior “é uma vertente específica da modalidade dirigida a esta população, mas não só: apresenta grandes benefícios para os seus praticantes, tais como a promoção do estilo de vida ativo, a manutenção da capacidade funcional e autonomia física, a melhoria da mobilidade articular, da força muscular e da motricidade fina. Apresenta ainda vantagens ao nível da capacidade de concentração, do equilíbrio, da coordenação motora, da capacidade intelectual, da socialização e da satisfação pessoal”, concluiu.

Comentários