Animação de loading

A página da instituição esteve indisponível durante cerca de 48 horas

Fundação ADFP atacada por “hackers” que colocaram imagem ameaçadora

Na madrugada de sábado, dia 6, a página web da Fundação ADFP sofreu um ataque que a deixou inacessível até ao final de domingo, quando a empresa responsável pela sua gestão conseguiu intervir.


No basfond da darknet consta que este ataque terá sido encomendado e pago para que hackers destruíssem o site da Fundação ADFP. A instituição já fez a devida participação do crime á GNR esperando que a PJ investigue.


De início, e durante umas horas, o site da Fundação ADFP foi apagado e substituído por uma imagem ameaçadora, representando uma pirâmide /templo cujo vértice superior suportava a figura de um corpo humano numa forca, sendo a cabeça de Jaime Ramos, o fundador da ADFP, que aparecia enforcado. A imagem ameaçadora era numa clara alusão ao projeto do Templo Ecuménico Universalista.


Horas depois o  hacker substituiu a imagem ameaçadora por outra do grupo Anonymous com fundo preto e máscara branca, em flash, com a expressão “Power to the people”.


A Fundação ADFP enfrenta frequentemente muitas animosidades e manifestações de ira como aconteceu recentemente quando o Presidente de Câmara Municipal proibiu a equipa de futebol e pagou ao Mirandense para não fazer publicidade ao Parque Biológico da Serra da Lousã.


Recordamos que o Templo Ecuménico Universalista vai a inaugurar no próximo dia 11 de setembro.


Este ataque ao site da ADFP revela o fanatismo intolerante que não admite o diálogo inter-religioso nem o respeito pela diferença. O anúncio do enforcamento do líder do projeto dá a dimensão do ódio.


O Templo será o primeiro da Europa aberto a crentes de todas as religiões e ateus, contemplando um espaço espiritual, local de oração, e um observatório de religiões, com informações sobre todos os credos do Mundo. A escolha da data que lembra o atentado em Nova Iorque, tem como objetivo homenagear todas as vítimas do fanatismo religioso. O Templo assume-se como uma construção humana para a promoção da tolerância e do respeito pela diferença.


A intrusão informática, claramente motivada por este projeto, constitui também ela um atentado à liberdade, tolerância e ao respeito pela diferença.


Recordamos que está construção tem enfrentado vários obstáculos que tem ido do embargo de obras ao atraso na concretização das infraestruturas a cargo da autarquia.


Esta não é a primeira vez que a página sofre um ataque. No passado mês de junho identificámos dois “tímidos” ataques, em que foram integradas durante um curto período de tempo, e na página inicial, banners em flash e o conhecido símbolo da Santíssima Trindade, também associado á maçonaria, composto por um olho dentro de um triângulo, retirado da nota de 1 dólar.


A Fundação ADFP já apresentou queixa junto das autoridades, pois a intrusão informática é um acesso sem autorização e constitui um crime, pelo que virá a ser investigado pela Polícia Judiciária.

Comentários