Animação de loading

Apresentação do livro - FUNDAÇÃO ADFP 34 ANOS | YEARS: a mais eclética e inclusiva organização

Apresentação do livro - FUNDAÇÃO ADFP 34 ANOS | YEARS: a mais eclética e inclusiva organização

30 Novembro 2021 | Cultura, Fundação ADFP

Apresentação do livro - FUNDAÇÃO ADFP 34 ANOS/YEARS: a mais eclética e inclusiva organização  

Apresentação do Livro 34 Anos - Years Fundação ADFP

A apresentação esteve a cargo da Professora do ISCAC Dra. Madalena Abreu, do Eng.º António Taborda dirigente da Casa Dos Pobres de Coimbra e membro do Conselho Geral da Fundação e pelo Professor Eng.º Celestino Quaresma que conheceu a ADFP quando presidente da Ordem dos Engenheiros de Coimbra. A sessão foi presidida pela Dra. Marilene Rodrigues, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo e Dr. Jaime Ramos Presidente da Fundação.  

Das intervenções salientamos:  

 

Dra. Madalena Abreu, professora do ISCAC, começou por enaltecer a multiplicidade da atuação da Fundação ADFP. Afirmando que o Dr. Jaime Ramos, homem sábio e intuitivo, iniciou praticamente sozinho aquela que hoje, para si, a mais eclética das organizações que conhece. Afirma ser a mais eclética nas pessoas que alberga. Madalena Abreu fez ainda uma reflexão sobre o fosso entre aptos e não aptos, afirmando que na Fundação ADFP ele não existe. Definiu a ADFP como uma instituição completa, questionando, "o que mais faltará?". 

O Eng.º. António Taborda referiu o percurso de Jaime Ramos, que devido ao seu trabalho e perseverança, criou aquele que é um dos maiores empregadores da zona centro. Refletiu sobre o terceiro sector, e pela vasta área de intervenção da ADFP. Afirmou que a Bondade e a Coragem são os valores com os quais mais se identificou. Referiu que a Fundação ADFP não se limita a copiar, é criativa. Invocando ainda os valores presentes nas diferentes valências, lamentou que o Hospital Compaixão que está pronto desde 2019 se mantenha fechado até hoje. 

Já o Eng.º. Celestino Quaresma afirmou que conhecer a obra desde 2004, reconhecendo nela uma força anímica enorme, consequência da sabedoria que foi necessária para iniciar todo este processo. Na sua opinião Miranda do Corvo ganhou muito em ter um homem como o Dr. Jaime Ramos, que se dedicou à Vila. Refletiu ainda sobre o Templo Ecuménico Universalista, o Parque Biológico da Serra da Lousã, e as produções próprias da Fundação, como é o caso dos vinhos. É um percurso social profundo que tornou Miranda num enorme polo de inclusão. 

A Dra. Marilene Rodrigues, vice-presidente da Câmara de Miranda do Corvo, felicitou todo o trabalho efetuado pela Fundação ADFP no desenvolvimento da região que é potenciado pela instituição. Enalteceu ainda o livro que será algo que permanecerá na memória. 

O Dr. Jaime Ramos agradeceu a presença de todos, afirmando de seguida que o livro pretende ser uma espécie de relatório daquilo que é feito na Fundação ADFP. É difícil dissociar o seu nome da Fundação ADFP, mas afirmou que a Instituição não é a obra de uma pessoa ou de um conjunto de dirigentes, mas também de um conjunto de colaboradores. Nasceu porque existia a necessidade de dar resposta às necessidades da população - "são os utentes, as pessoas, que frequentam as valências a razão da existência da Fundação ". 

Falou da lógica de inclusão e de criação de emprego como algo que garante alguma independência financeira da Função ADFP tornando-a menos dependente do Estado. 

Sobre o livro, justifica a sua redação em português e inglês, devido ao St Paul’s School ser um colégio bilíngue e para que quem visite os nossos hotéis fique a conhecer o trabalho da Fundação, tendo salientado o propósito social do turismo e da agricultura da Instituição. 

Concluiu mencionando que os próximos objetivos da Fundação são abrir o Hospital Compaixão e avançar com o projeto do Planalto do Ingote em Coimbra. 

O livro irá ser distribuído pelos amigos, colaboradores e utentes da instituição da Fundação ADFP.