Animação de loading

“Têm todas as condições necessárias para instalar refugiados recém-chegados”

O Diretor do Serviço Jesuíta aos Refugiados visitou a Fundação ADFP

“A Fundação ADFP tem todas as condições necessárias para instalar refugiados recém- chegados”, afirmou André Costa Jorge, diretor do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS) de Lisboa, durante uma visita à instituição mirandense, dia 7 de Maio.
 André Costa Jorge mostrou a sua preocupação com a crise migratória e humanitária sem precedentes que está a afetar o mar Mediterrâneo. Aproveitou para partilhar as boas práticas de acolhimento e instalação de refugiados em Portugal, referindo também vários problemas e desafios com que se depara no quotidiano e a atual conjuntura europeia nessa área de atuação.
Durante o almoço de trabalho no Restaurante Museu da Chanfana, André Costa Jorge partilhou a sua vasta experiência profissional na área das Migrações Internacionais – superior a 20 anos – designadamente no que se refere ao trabalho pioneiro em Portugal com os imigrantes oriundos de países lusófonos efetuado nos anos 90 do século passado (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa – PALOP). Tocou ainda no assunto do considerável fluxo de imigrantes dos países de leste europeu que se deu no início do século XXI. Apresentou também vários exemplos positivos, de sucesso, na área de integração dos imigrantes de leste, nomeadamente os projetos de reconhecimento de habilitações destinados aos médicos e enfermeiros imigrantes e realizados em parceria com várias instituições, entre as quais a Fundação Gulbenkian. Através da ação de vários programas, 174 médicos e 56 enfermeiros conseguiram o reconhecimento das suas habilitações, bem como as equivalências necessárias para o exercício da respetiva profissão em Portugal, acabando por ingressar no Serviço Nacional de Saúde (SNS).
André Costa Jorge vinha acompanhado por mais um membro da Direção do JRS, Joaquim Fraga.
Recebidos por Fátima Ramos, Nataliya Bekh, Hugo Vaz e Paula Santos, os dois visitantes percorreram as valências do Centro Social Comunitário da parte da manhã, altura em que se lhes juntou o Dr. Jaime Ramos, Presidente do Conselho de Administração da Fundação. Aproveitaram também para se deslocar ao Espaço da Mente no Parque Biológico da Serra da Lousã.
Esta visita foi organizada no sentido contínuo de incentivar intercâmbios e relações de cooperação, bem como para fomentar boas práticas com as principais Instituições lisboetas que trabalham na área de Asilo e Instalação de Refugiados.
Recorde-se que no dia 18 de Março a Presidente da Direção do Conselho Português para os Refugiados (CPR), Teresa Tito de Morais, também teve oportunidade de se deslocar à Fundação ADFP com a sua equipa técnica, tendo convidado os representantes da ADFP a visitar o CPR.
Nesse contexto, no dia 8 de Abril, Fátima Ramos – Membro do Conselho de Fundadores da Fundação ADFP, Paula Santos, Nataliya Bekh e Hugo Vaz dirigiram-se ao Centro de Acolhimento para Crianças Refugiadas (C.A.C.R.) e ao Centro de Acolhimento para Refugiados (C.A.R.) da Bobadela, participando de seguida numa reunião com a equipa técnica do Conselho Português para os Refugiados (CPR) do qual as referidas instituições fazem parte.
No final da sua visita André Costa Jorge disse ter ficado surpreendido pela vasta gama de respostas sociais e pela eficiência na resolução de problemas complexos, tendo em consideração o contexto vulnerável do público-alvo, designadamente pessoas com deficiência e doença mental, imigrantes e membros de minorias étnicas, entre outros. Teve também a cortesia de convidar uma delegação da ADFP a visitar as instalações do Serviço Jesuíta aos Refugiados situadas em Lisboa, com a data da deslocação prevista para o dia 13 de maio.

Comentários