Animação de loading

Visitante número 300 mil

Parque Biológico da Serra da Lousã e Templo Ecuménico Universalista recebem família australiana e holandesa

21 Janeiro 2020 | Turismo, Visitas

O Parque Biológico da Serra da Lousã e o Templo Ecuménico Universalista receberam no dia 17 de Janeiro o seu visitante número 300 mil.

Mei Ping Wu, de nacionalidade australiana, visitou o Parque Biológico acompanhada pelo marido, o filho de 8 anos e os sogros, de nacionalidade holandesa.

A passagem pelo Parque Biológico é uma das etapas da viagem que a família está a fazer por Portugal. Nas últimas semanas conheceram várias cidades portuguesas como Porto, Bragança, Amarante e Coimbra. Esta é a primeira viagem ao nosso país e a família está rendida. O Parque Biológico conquistou os visitantes e fez a delícia de todos os elementos da família, principalmente da criança.

O Parque Biológico e o Templo ultrapassaram em 2019 os 35 mil visitantes. Na sua maioria são visitantes nacionais sendo que é notada uma tendência crescente do número de turistas estrangeiros. Esta variação pode ser explicada pelo trabalho desenvolvido na promoção do Parque em feiras internacionais do setor do Turismo. Na celebração do visitante 290 mil, a premiada vinha também acompanhada pela filha emigrante na Austrália.

Afirmando-se com duas das principais atrações turísticas da região, o Parque Biológico e o Templo Ecuménico, que em conjunto com o Ecomuseu Espaço da Mente formam o Trivium, recebem mensalmente milhares de pessoas que vêm conhecer aquela que é a maior amostra de fauna e flora selvagem de Portugal e um local único no mundo de tolerância e reflexão.

O Parque Biológico integra um Centro hípico, uma Quinta Pedagógica, uma zona museológica e um labirinto de árvores de fruto. Durante a visita podem ser observadas várias espécies de aves de rapina, ursos pardos, linces, lobos, raposas, javalis, veados, entre muitos outros animais. O principal objetivo do Parque é a promoção da biofilia e a sensibilização dos seus visitantes para a biodiversidade existente no país e para os fatores que ameaçam a sua sobrevivência.

O Templo Ecuménico Universalista é um monumento destinado à reflexão espiritual de pessoas de diferentes religiões. Aberto a não crentes, promove valores fundamentais da humanidade e das religiões, como a Verdade, a Bondade e a Moral. O Templo é um monumento dedicado à Paz que homenageia as vítimas dos fundamentalismos e da intolerância religiosa. Integra um Observatório das Religiões que disponibiliza ao visitante factos, dados cronológicos e informação sobre a história e evolução de 15 visões religiosas.

 Propriedade da Fundação ADFP, instituição de solidariedade social sem fins lucrativos com sede em Miranda do Corvo, estes investimentos seguem uma lógica de integração e cerca de 30% dos trabalhadores sofrem de algum tipo de doença, deficiência física ou mental. A instituição apoia mulheres/mães em situação de pobreza, crianças, jovens e adultos com deficiência ou doença mental, idosos doentes em fim de vida, refugiados, pessoas “sem-abrigo”. A Fundação tem vindo a investir nas áreas do turismo e agricultura contribuindo para o desenvolvimento regional e para a sustentabilidade das suas atividades sociais.

Localizados a menos de 20 minutos da cidade de Coimbra e da belíssima aldeia do Gondramaz, no centro do triângulo criado por Conimbriga e pelos castelos de Penela è Lousã, o Parque Biológico e o Templo são servidos por uma unidade Hoteleira – o Hotel Parque Serra da Lousã, e também pelo Restaurante Museu da Chanfana. Junto ao Parque existe também uma Loja de Artesanato em associação com o Conimbriga Hotel do Paço