Animação de loading

Fundação ADFP lançou o vinho Terra Solidária Tinto Reserva 2016

Com muito público na Galeria Santa Clara em Coimbra

A Galeria Santa Clara, em Coimbra, foi palco do lançamento público do vinho Terra Solidária Tinto Reserva 2016, indicação geográfica Terras da Beira, com uma sala cheia de apreciadores .

A abertura do evento esteve a cargo de Margarida Soares, bióloga do Parque Biológico da Serra da Lousã, introduzindo a apresentação do vinho e dando as boas vindas a todos os presentes, com um agradecimento especial a Olga Maia, proprietária da Galeria Santa Clara, “que desde o primeiro contacto aceitou e disponibilizou os seus serviços e instalações para o referido evento”.

Nesta introdução, Margarida Soares caracterizou a instituição, como tendo por objetivo primordial "combater o sofrimento, através das suas valências sociais e de saúde, sem esquecer o papel de agente de desenvolvimento, através da educação e formação profissional e de investimentos nos sectores do turismo e agroflorestal”.

“O projeto vitivinícola tem como lema: ENGARRAFAMOS EMOÇÕES. Somos inclusivos, trabalhamos com pessoas especiais, mostrando a bondade e paixão de quem cuida e faz nascer com amor” salientou também.

Sobre as duas regiões vinícolas da Fundação, Margarida Soares nomeou os 8 hectares  nos concelhos de Miranda, Condeixa e Penela e os 12 hectares  no concelho do Fundão, “de onde é originário este vinho que hoje apresentamos”.

“A nossa Adega instalada em Miranda do Corvo tem uma capacidade produtiva e de armazenamento de 200 mil litros de vinho e 20 000 litros em estágio de barricas de carvalho – disse ainda – anunciando para o futuro “a continuação dos nossos sonhos com dois novos vinhos tintos, um branco e um rosé, o primeiro vinho espumante certificado Terras de Sicó e uma jeropiga histórica”.

“Como escreveu Baden-Powell – Fundador do Escutismo, a melhor maneira de sermos felizes é contribuirmos para a felicidades dos outros, é nesta lógica de felicidade que transborda e que se passa, que trabalhamos, que cuidamos, que servimos e que existimos”, concluiu, com “uma palavra de agradecimento a todos que trabalharam a vinha, que colaboraram na adega, que trataram da imagem”, sem deixar de nomear duas figuras recentemente falecidas, como os engenheiros Pedro Faria e Vítor Araújo.

Jaime Ramos e Gonçalo Moura da Costa sobre a valorização do produto e o vinho

O presidente do conselho de Administração da Fundação ADFP, Jaime Ramos, começou por esclarecer que “o objectivo é criar projectos sustentáveis, como estes de produção de vinho, que desenvolvam a região, criem emprego inclusivo“


“A Fundação, com a sua adega, quer dar mais visibilidade aos vinhos de SICO, para ajudar os micro produtores a produzirem vinhos mais valorizados. Não somos concorrentes dos pequenos agricultores, somos parceiros que querem contribuir para a valorização da imagem dos vinhos da nossa região“ concluiu.

Foi precisamente Gonçalo Moura da Costa, a falar especificamente deste Tinto Reserva Terra Solidária 2016:

“Vamos agora provar emoções em estado líquido. As uvas são oriundas da nossa exploração do Fundão – Monte Isidro, e este vinho é feito com as castas Touriga Nacional, Aragonês e Merlot”.

“Após uma fermentação lenta e prolongada a uma temperatura nunca superior a 20º C, obtivemos um vinho com uma cor forte e vermelho escuro. Com uma lágrima que nos remete para um teor alcoólico equilibrado – 13,5 %”, salientou.

“Tendo estágio parcial em barrica de carvalho francês e americano, no nariz é doce e profundo. Na boca é envolvente e persistente. Tem um bom final de boca, com nuances de tosta e fruta madura”, concluiu, não deixando de atribuir os créditos deste novo néctar feito por 3 mãos:

“O consultor de enologia Antero Silvano, que teve a orientação enológica de vinificação e primeiro estágio, enquanto a viticultura esteve a cargo do Eng. Daniel Fernandes e eu próprio enquanto enólogo além de o apresentar, fui responsável pelo estágio em barrica, a sua estabilização e engarrafamento”.

O consumidor pode degustar este vinho no Restaurante Museu da Chanfana e no Hotel Parque Serra da Lousã, ambos em Miranda do Corvo, e adquirir garrafas na Loja de Artesanato do Parque Biológico da Serra da Lousã.
 

Tags
Comentários