Animação de loading

Dia Europeu das Fundações e Doadores

Fundação ADFP aberta ao voluntariado e ao mecenato

A Fundação ADFP é uma organização, sem fins lucrativos, criada em 1987 da iniciativa altruísta de cidadãos da comunidade.

No âmbito das comemorações do Dia Europeu das Fundações e Doadores, a ADFP revela alguns dos resultados do fecho de contas relativo ao ano transato no que toca a doações.

Em 2017, a Fundação ADFP recebeu 701 967.38 € do Sector Privado, na maioria através de prestação de voluntariado.

Em 2016 as importâncias estas dádivas foram ligeiramente superiores.
O mecenato ou a doação são importantes nas organizações, mas também para o doador. O donativo é um ato de “DAR”, sem esperar nada em troca. Este ato de “DAR” pode reverter em bens, dinheiro  ou em tempo de trabalho para as organizações, e um ato humanista e de responsabilidade social para o doador.
Muitas pessoas fazem doações em espécie desde livros a roupas, brinquedos, produtos agrícolas e mobílias.

A Fundação ADFP tem voluntariado totalmente gratuito, sem que os voluntários recebam qualquer contrapartida, como é o caso dos dirigentes, Professores da Universidade Sénior e alguns médicos especialistas. 
Outros voluntários recebem um prémio de bolso até a um valor máximo aproximado de 120 €/mês, para fazerem face a despesas de deslocação e outras de socialização e alimentação. O voluntariado não é uma profissão, é um ato altruísta da vida.

Estes voluntários, muito deles estudantes universitários, recém-licenciados, reformados, acompanham utentes a consultas, servem refeições a sem-abrigo, apoiam em tarefas residenciais e em atividade do Parque Biológico da Serra da Lousã e Templo Ecumenico Universalista. 

A organização considera o voluntário um colaborado imprescindível e valioso ao funcionamento. Os voluntários são auditores  externos, não dependentes da organização nem de interesses corporativos, com uma visão imparcial sobre o funcionamento o  que traz um valor acrescido com sugestões de melhoria e novas ideias. 

O objetivo do Dia Europeu das Fundações e Doadores é sublinhar o papel das fundações na vida comunitária e mobilizar os cidadãos para o voluntariado e para a doação, assim como agradecer o contributo destes. 

Não existe uma cultura de mecenato implantada, principalmente quando falamos de organizações fora das grandes cidades e localizadas em concelhos pobres do ponto de vista empresarial. Relativamente a donativos em espécie ou monetário, a Fundação ADFP recebeu, em 2017, 59 947.99 €, com um ligeiro aumento em relação a 2016. 

Todas as receitas da Fundação ADFP e negócios sociais revertem para o funcionamento e sustentabilidade da organização na persecução da sua atividade social, saúde, cultural, desportiva, indo de encontro às necessidades das pessoas e ao desenvolvimento local com criação de emprego . 

Na sua atividade cria negócios sociais para haver receitas que a tornam sustentável e autónoma face ao seu principal cliente e doador que é o Estado e também a União Europeia. 

A sustentabilidade das organizações é importante para fazer face a adversidades conjunturais, mantendo postos de trabalho e o apoio às Pessoas.

 

A Fundação ADFP

Fundada em 1987, como Associação para o Desenvolvimento e Formação Profissional, conta com 31 anos de existência. A Formação Profissional para pessoas com necessidades especiais foi a atividade fundacional, e hoje tem valências socias, serviços de saúde, educação, cultura e turismo, no apoio a crianças, jovens, adultos e idosos, passando por valências/serviços destinadas a pessoas com deficiência, doença mental crónica, refugiados, sem-abrigo, mulheres grávidas e/ou com filhos vitimas de violência.

Conta com cerca de 3400 utilizadores regulares e integra 480 residentes com diferentes problemáticas, de todas as faixas etárias, de ambos os sexos, várias etnias e naturalidade.

Possui 573 colaboradores, incluindo voluntários sem qualquer tipo de remuneração e voluntários com prémio de bolso, o número ultrapassa os 800 colaboradores regulares.

40 % dos colaboradores da Fundação ADFP são pessoas com deficiência e/ou doença mental, 19% com funções de chefia. Muitos iniciaram as suas funções na Formação Profissional e hoje integram os quadros da Instituição.

Comentários