Animação de loading

Vão criar Centro de Estudos para combate ao desemprego

Fundação ADFP e UGT - Coimbra assinaram protocolo

A Fundação ADFP de Miranda do Corvo e a UGT - Coimbra assinaram um protocolo de colaboração, que vai criar um Centro de Estudos para combate ao desemprego, no Sindicato dos Bancários do Centro, em Coimbra, dia 22 de Julho.
O Centro de Estudos, que terá sede em Miranda do Corvo e será inaugurado em Setembro, vai desenvolver actividades de investigação, formação, campanhas de sensibilização e informação, não só para o combate ao desemprego como também para a inclusão laboral de desempregados de longa duração, com ou sem necessidades especiais. O protocolo prevê ainda a eventual elaboração conjunta de candidaturas a fundos comunitários até com outros parceiros, como duas instituições universitárias cujos nomes não foram anunciados.
O presidente do Conselho de Administração da Fundação ADFP, Jaime Ramos, e o presidente da UGT Coimbra, Ricardo Pocinho, sublinharam que serão parceiros e não concorrentes de outras instituições como o Instituto do Emprego e Formação Profissional.o enquanto médico do trabalho sente-se “bem a assinar uma parceria  com uma central sindical, para promoção da dignidade do trabalho e de melhores condições para os trabalhadores”. 
A Fundação ADFP é uma das 4 maiores fundações nacionais, não religiosas, na intervenção social.
“A escolha da UGT para nos ter como parceiros, mostra que a central sindical sabe que somos hoje a entidade empregadora no país, com centenas de trabalhadores, que mais investe na inclusão de trabalhadores especiais, com deficiência ou doença mental”, realçou Jaime Ramos.
Já Ricardo Pocinho manifestou o desejo de “fazer da UGT da cidade de Coimbra uma UGT do distrito”.
Recorde-se que a Fundação ADFP foi exemplar ao criar um prémio monetário a atribuir às trabalhadoras grávidas, ao contrário de outros empregadores que continuam a ter práticas punitivas para as trabalhadoras que querem ser mães. Recentemente, este prémio, no valor máximo de 1000 euros, foi também alargado aos trabalhadores pais .

Comentários