Animação de loading

Um espetáculo surpreendente que revelou a integração plena dos utentes

Festa de Natal da Área da Saúde Mental na Fundação ADFP

Quem se deslocou ao Salão de Festas da Fundação ADFP de Miranda do Corvo, para a Festa de Natal da Área da Saúde Mental, familiares dos utentes inclusive, terá ficado certamente surpreendido pelo espetáculo natalício de que os próprios foram os principais protagonistas, revelando a sua plena integração na comunidade, na tarde de 14 de Dezembro.

Cerca de 150 pessoas assistiram então a uma encenação de Eugénia Colaço, dinamizada pelos utentes, sobre a invenção do presépio. Depois foi a vez de Glória Correia, responsável pela Residência Coragem – uma das várias áreas residenciais da instituição dedicadas à saúde mental - em Miranda do Corvo, Godinhela ou Rio de Vide - interpretar duas célebres canções de Joe Dassin e Bárbara Streisand.

Os ânimos aqueceram ainda mais quando Rita Francisco, vocalista do grupo "5 ProFado", se juntou a um excelente intérprete do repertório de Zeca Afonso, que além de doente mental é também invisual, o César Jesus, para cantarem, acompanhados de André Santos, "Canção de embalar" e "Tudo isto é fado".

Foi então que todos os presentes aproveitaram para cantar os parabéns a um emocionado e feliz César Jesus, que a todo o momento repetia que "passaram 27 anos desde a morte do Zeca Afonso".

Rita Francisco atuaria ainda a solo, interpretando "Amor a Portugal" (Dulce Pontes), e em dueto com Manuel Jesus, a canção espanhola "Perdoname".

A animação atingiu o rubro com duas coreografias de Francisco Silva (Professor de Educação Física), que levou estes utentes muito especiais a darem o máximo de si mesmos, com constantes movimentações e uma entrega total à própria dança, que provocou demorados aplausos.

Glória Correia voltou ao palco para interpretar a "Ave Maria" de Schubert, antes de um lanche final partilhado por utentes, familiares, técnicos e colaboradores desta valência da instituição mirandense, que conseguiu provocar em todos os presentes uma grande emoção, pela forma como os utentes com doença mental considerados mais graves e profundos, se envolveram no espetáculo.

Ainda antes do final da festa, os utentes das Residências Esperança e Igualdade, subiram ao placo com todos os colaboradores e cantaram "A todos um Bom Natal".

No fim da festa e em nome do Conselho de Administração da Fundação ADFP, Aires Caetano agradeceu "a todos os que a tornaram possível e a todos os que a abrilhantaram".

Comentários