Animação de loading

Primeiro Templo Ecuménico nasce em Miranda do Corvo

Lançamento da 1ª pedra

A 11 de setembro, sexta-feira, será lançada a primeira pedra para a construção de um Templo Ecuménico universalista em Miranda do Corvo, o primeiro no mundo.

Este espaço, projetado pela Fundação ADFP, vai promover a reflexão e o diálogo inter-religioso. Com o objetivo de contribuir para uma cultura de Paz e de Tolerância, o Templo Ecuménico, aberto também a agnósticos e ateus, vai fomentar valores como a Verdade, o Amor e a Ética.

Programa:
11h00 - Visita à sede da Fundação ADFP
12h00 - Visita ao Espaço da Mente, no Parque Biológico da Serra da Lousã/Apresentação do Templo
13h00 - Almoço no Restaurante Museu da Chanfana
14h30 - Cerimónia da colocação da primeira pedra no Templo Ecuménico Dr. Pedro Calado, Alto Comissário para as Migrações Dr. Paulo Mendes Pinto, Embaixador do Parlamento Mundial das Religiões
16h00 - Encerramento

Porquê 11 de Setembro?
11 de Setembro (de 2001) será sempre recordado como símbolo do fanatismo e da intolerância religiosa e cultural. Os atentados aos Estados Unidos da América vitimaram perto de 3 mil pessoas, de 70 nacionalidades diferentes.
O Templo, que nasce neste dia, e todas as iniciativas que gerar serão a melhor forma de homenagear todas as vítimas do fanatismo e da intolerância por motivação religiosa ou diferença étnico-cultural.

Aspetos simbólicos do Templo:
As medidas do Templo de Salomão, o labirinto da Catedral de Chartres e a Mesa da Igualdade dos Sikh são apenas três exemplos de grande simbolismo histórico/religioso representados no Templo.
O edifício, que terá 13,4m de altura (em analogia à altura do templo de Salomão), está projetado em formato de pirâmide com base quadrangular.
Em cada uma das faces da pirâmide estará representada uma das três grandes religiões monoteístas: cristã, islâmica e judaica, e, a quarta face, terá apenas 3 palavras simbólicas de espiritualidade: bondade, ética, verdade.
No exterior, há vários percursos curvilíneos que convidam à introspeção, um dos quais com acesso ao interior da pirâmide.
No interior, está planeada uma sala ecuménica circular, reservada para oração/meditação. Uma cúpula no teto desta sala vai permitir a entrada de luz natural pelo vértice superior da pirâmide.
No pavimento será desenhado um labirinto, simbolizando a dificuldade do percurso até ao centro, onde se encontrará uma pedra assente num pedestal.

Geograficamente, o Templo está localizado num planalto superior ao Parque Biológico da Serra da Lousã. A sua construção estará concluída em 2016.

Em 2014, este projeto foi escolhido pela UNESCO para, com o Parque Biológico da Serra da Lousã, representar Portugal no Prémio Internacional: MADANJEE SINNGH, para a promoção da Tolerância e Não-Violência.

Com o Parque Biológico da Serra da Lousã e o Espaço da Mente, o Templo Ecuménico completa um Trivium dedicado à igualdade, liberdade e fraternidade:
- O Parque Biológico representa o corpo e a igualdade do Homem perante todos os seres vivos (Australopithecus).
- O Espaço da Mente, o desenvolvimento da mente e a liberdade de pensar (Homo Habilis).
- O Templo Ecuménico Universalista representa o espírito e a fraternidade, independentemente da fé de cada um (Homo Sapiens).

Comentários