Animação de loading

O Sacarrabo é o animal do mês de outubro.

No Parque Biológico da Serra da Lousã

O Sacarrabo, Herpestes ichneumon, é um carnívoro de médio porte castanho-acinzentado que, juntamente com a Geneta, representam a família Viverrídea no nosso país. Tem um corpo alongado e de aspeto fusiforme, o focinho é pontiagudo e as patas são curtas. Pesa de 2 a 3 Kg, e tem um comprimento total de cerca de 90 cm, podendo a cauda chegar aos 50 cm. Na cabeça distinguem-se umas orelhas pequenas e arredondadas e uns olhos cor de âmbar que têm a particularidade de exibir uma pupila horizontal, caso quase único entre mamíferos e que revela hábitos diurnos.

As crias seguem a mãe em fila-indiana, cada uma com o focinho por baixo da cauda da que a precede, daí o nome sacarrabo (esta maneira peculiar de se deslocarem até levou ao equívoco de lhes chamarem cobra peluda). 

É um típico habitante dos matagais mediterrânicos, com subcoberto bastante denso e, em geral, nas proximidades de linhas de água.

O sacarrabo tem reflexos bastante rápidos o que lhe permite capturar ofídios (cobras), inclusive as espécies venenosas. Uma das suas características mais curiosas, e muito valorizada em África, é o de ser resistente ao veneno das cobras.

No entanto, têm como principal fonte de alimentação os pequenos mamíferos, nomeadamente os roedores, coelhos e lebres jovens.

O Sacarrabo tem ainda outra característica interessante, uma vez que na nossa fauna é o único carnívoro com atividade diurna e noturna. Todos os outros têm apenas atividade noturna.

Provavelmente introduzido na Península Ibérica pelos árabes, no nosso país é relativamente abundante a sul do território.

Durante a visita é possível conhecer alguns dos animais selvagens que vivem no território nacional bem como muitos animais caraterísticos das quintas portuguesas. Assim, o parque é um local de visita obrigatória para todos aqueles que querem saber um pouco mais sobre a fauna e flora portuguesas ao mesmo tempo que abraçam este projeto social.

Comentários