Animação de loading

Magistrados de Família e Menores visitaram Fundação, com especial foco nas Residências Fraternidade e Cruz Branca

Os magistrados do Tribunal de Família e Menores de Coimbra e técnicas da Segurança Social de Coimbra visitaram a Fundação ADFP, com especial enfoque na Residência Fraternidade e Residência Cruz Branca, dia 5 de maio.

A visita da delegação de magistrados e técnicas decorreu da melhor maneira, com ambos a referir que gostaram da visita, tendo oportunidade de conversar com as mães, crianças e jovens.
A Fundação ADFP possui um Centro de Apoio à Vida e à Mulher, a Residência Cruz Branca. Este centro tem capacidade para 20 utentes, destinando-se ao acolhimento temporário de crianças com mães, ou mulheres grávidas, por períodos, preferencialmente, não superiores a 24 meses.
Já a Residência Fraternidade é uma resposta social destinada a crianças ou jovens do LIJ (Lar de Infância e Juventude), por um período variável. O acolhimento institucional é uma medida de proteção contra maus tratos, negligência e incapacidade educativa.
A Fundação está disponível para cooperar com o Governo e CNIS no acolhimento de crianças refugiadas. Uma das dificuldades da ADFP no apoio às crianças, deriva do facto de neste ano letivo o Ministro da Educação ter cortado o destacamento de docentes. Este corte visou criar dificuldades à ADFP - integrando uma campanha de perseguição política integrada nas dificuldades criadas pela Câmara em diversas iniciativas, como o Templo e o Hospital - uma vez que o mesmo ministro manteve os destacamentos para outras instituições, com menos crianças apoiadas.

Comentários