Animação de loading

Salamandra-de-pintas-amarelas

Animal do mês de outubro

No mês de Outubro, o Parque Biológico da Serra da Lousã procura desmistificar os mitos da Salamandra-de-pintas-amarelas.

Amplamente distribuída pela Europa, a Salamandra-de-pintas-amarelas ou salamandra de fogo é um atraente anfíbio encontrado nas zonas mais húmidas e frescas do nosso país.

Com um comprimento médio entre 14-17 cm pode por vezes atingir os 20 cm; as fêmeas apresentam-se maiores que os machos, mais robustas mas com a cauda proporcionalmente mais curta. A sua pele é lisa e brilhante e são facilmente reconhecidas pelas manchas amarelas que apresentam, em número variável e, por vezes, pontuações vermelhas.

São animais de hábitos noturnos, sedentários e terrestres, apenas procurando meios aquáticos para depositar as suas larvas. Observam-se muito facilmente em dias em que tenha chovido recentemente ou em dias em que o ar se encontre mais húmido. Em dias opostos, encontram-se menos ativas, podendo encontrar-se debaixo de pedras, troncos ou outros esconderijos com humidade.

As salamandras são das espécies mais associadas a mitos que, no entanto, não têm base de fundamento. Um dos principais é que a sua mordedura é venenosa, o que não acontece e, mesmo quando manuseadas não têm o hábito de morder. Outras superstições comuns são a de que podem viver no meio do fogo (daí o nome, salamandra de fogo), que por onde passa queima plantas ou que é o primeiro animal a comer os mortos. Desconhecendo a verdade, este anfíbio é muitas vezes morto pelas pessoas podendo levar, a longo prazo, a uma ameaça à sua população.

No PBSL temos exemplares desta espécie e de outras salamandras para esclarecer estes mitos e mostrar à população que esta espécie não apresenta nenhum perigo para nós.

Comentários