Animação de loading

Fundação ADFP: empreitada a concurso

Templo Ecuménico Universalista em Miranda do Corvo

As propostas serão conhecidas / abertas no dia 27 de Janeiro de 2015.

Numa altura em que o fundamentalismo religioso está na base do terrorismo internacional. A Fundação ADFP aposta no combate ao fanatismo através de um templo que propõe a tolerância e o respeito pelos diferentes credos.

A Fundação ADFP (Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional) lançou, na Plataforma Eletrónica de Contratação Pública (www.compraspublicas.com) a empreitada para a construção do Templo Ecuménico Universalista.

O objetivo principal deste Templo – a ser implantado no lugar do antigo marco geodésico, no cume da colina sobranceira ao Parque Biológico da Serra da Lousã - é criar um espaço de encontro e meditação para crentes de todas as religiões, que não exclua os ateus na busca da Verdade.

O Templo, evidenciando as três religiões do Deus de Abraão, não exclui os politeístas, nem os agnósticos ou ateus, criando no exterior um “Pátio dos Gentios” onde o diálogo entre todas as pessoas seja possível.

Numa referência histórica, comum aos monoteístas o comprimento, altura e largura do Templo de Salomão são transpostos para o projeto de arquitetura. As medidas do “Santíssimo do Santíssimo” do Templo de Salomão são a dimensão do quadrado central do espaço espiritual.

O local onde se insere o Templo, rodeado por uma floresta onde predomina o eucalipto, poderá ser acedido por um percurso rodoviário através de uma estrada próxima do nó da A13, ou por um percurso pedonal que se inicia a partir do Parque Biológico da Serra da Lousã, na base do monte.

O Templo Ecuménico Universalista visa promover o diálogo inter-religioso, conduzindo à aproximação dos homens e à paz universal.

O valor para efeito do concurso é de 295.000,00€.

O processo de concurso para execução da empreitada de “Construção de Templo Ecuménico” encontra-se patente no Gabinete de Engenharia e Património da Fundação ADFP, onde pode ser examinado, durante as horas de expediente.

A declaração de interesse público foi publicada no Diário da República, 2ª série – n.º 149 – 5 de Agosto de 2013, por despacho do Secretario de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território (Despacho n.º 10245/2013).

A ADFP iniciou este projeto através de uma deliberação votada por unanimidade na primeira reunião do Conselho Geral da Fundação.

A Fundação assume que tem como objetivo promover a difusão de valores civilizacionais humanistas e nomeadamente a Tolerância e o Respeito pela diferença.

A Fundação ADFP foi escolhida em 2014 para, com o Parque Biológico / Templo Universalista, representar Portugal no Prémio Internacional da UNESCO: MADANJEE SINNGH, para a promoção da Tolerância e Não-violência.

A obra que será iniciada em 2015, estará concluída em 2016.

Comentários