Animação de loading

Dia de Reis com celebração especial no Parque Biológico da Serra da Lousã

Presentes serão entregues aos animais do Parque!

16 Dezembro 2022 | Social, Turismo, Serviços, Visitas, Eventos, Fundação ADFP, Ambiente

A celebração do Dia de Reis, a 6 de Janeiro, encontra um lugar especial no Parque Biológico da Serra da Lousã e quem irá receber as prendas são os próprios animais. Entre os presenteados estarão exemplares como os linces, ursos e lontra que receberão o seu alimento diário em forma de prenda! O embrulho das prendas inicia-se às 10h30 seguido da entrega e distribuição dos mesmos pelos três Reis Magos!

A atividade de Reis conta já com várias edições no Parque Biológico e continua a ser uma das que mais desperta a curiosidade e a alegria dos visitantes, principalmente dos mais novos.

O Parque Biológico, que em conjunto com o Ecomuseu Espaço da Mente e o Templo Ecuménico Universalista forma o Trivium, conta já com quase 400 mil visitantes vindos de todo o país para conhecer aquela que é a maior amostra de fauna e flora selvagem de Portugal. 

Ao percorrer o parque, podem observar de perto espécies únicas como o Urso Pardo, o Lobo Ibérico, o Lince, Veados, Gamos, Javalis, Raposas e muitos mais que habitam naturalmente as florestas de Portugal. No Templo Ecuménico respira-se paz, tolerância e é possível aprender um pouco mais sobre as principais religiões do Mundo. Do Templo, têm ainda uma vista absolutamente incrível para os concelhos limítrofes dado que o espaço se situa no topo da colina do Parque Biológico numa altitude que permite uma visualização de longo alcance.

Assumindo-se como uma das principais atrações da zona centro, este complexo turístico inclui ainda o Restaurante Museu da Chanfana e o Hotel Parque Serra da Lousã, encontrando-se abertos todos os dias do ano. A cerca de 20 minutos, o Conimbriga Hotel do Paço e o Restaurante Gavius possibilitam também uma estadia nesta região, cada vez mais valorizada.

Propriedade da Fundação ADFP, instituição de solidariedade social sem fins lucrativos com sede em Miranda do Corvo, o Parque segue uma lógica de integração e cerca de 70% dos trabalhadores sofrem de algum tipo de doença, deficiência física ou mental. A instituição apoia mulheres/mães em situação de pobreza, crianças, jovens e adultos com deficiência ou doença mental, idosos doentes em fim de vida, refugiados, pessoas “sem-abrigo”. A FADFP tem vindo a investir nas áreas do turismo e agricultura contribuindo para o desenvolvimento regional e para a sustentabilidade das suas atividades sociais. 

Comentários