Animação de loading

Com um minuto de silêncio na homenagem ao malogrado Pedro Faria

Etapa mirandense do XX Campeonato Equestre Regional de Saltos de Obstáculos

A etapa mirandense do XX Campeonato Equestre Regional de Saltos com Obstáculos vai prestar uma homenagem à figura do malogrado Pedro Faria, que era não só Diretor do Parque Biológico da Serra da Lousã, como o habitual desenhador de pista nesta prova.

A prova decorrerá no próximo domingo, dia 12, pelas 14h30, no Centro Hípico de Miranda do Corvo, equipamento integrado no Parque Biológico da Serra da Lousã.

No âmbito dessa homenagem a Pedro Faria, será respeitado um minuto de silêncio em sua memória. Tendo-se ponderado o cancelamento do evento, acabou por respeitar-se o que era a vontade de Pedro Faria, que a prova se realizasse e que o Centro Hípico continuasse.

Pedro Miguel Sequeira Faria que nasceu a 20/9/70, residia em Coimbra, era casado com a Drª Helena Lopes, de Miranda do Corvo, e deixa um filho menor de 5 anos, faleceu dia 6 de junho vítima de doença prolongada.

Engº Agrário, Pedro Faria foi admitido na Associação para o Desenvolvimento e Formação Profissional (atual Fundação ADFP) a 1/9/1993 e era atualmente Diretor do Parque Biológico da Serra da Lousã. Foi pioneiro em equitação adaptada e hipoterapia tendo estado desde o início na criação do Centro Hípico da ADFP, numa lógica de integração de pessoas com deficiência, tendo liderado as equipas que projetaram a criação do Parque Biológico da Serra da Lousã.

Foi adjunto do desenhador de pista internacional Bernardo Costa Cabral em numerosos concursos nacionais e também, de 30 de Janeiro a 10 de Fevereiro de 2014, em Palm Spring (Miami).

Já como treinador nacional efetivo de Ensino Adaptado, chefiou a delegação equestre portuguesa, como treinador do cavaleiro Carlos Baptista nos Jogos Paralímpicos de Atenas em 2004, na modalidade de “dressage”.


+ sobre Centro Hípico de Miranda do Corvo

O Centro Hípico de Miranda do Corvo foi criado em 1993, numa iniciativa filantrópica da Fundação ADFP, mas com uma entidade jurídica de gestão e direção independente, exercida por pessoas da comunidade. Inovador pela sua localização, fora da periferia das grandes cidades e em contexto rural, e o primeiro a desenvolver a equitação adaptada e hipoterapia.

O Centro Hípico desenvolve, para além das atividades equestres terapêuticas para pessoas com deficiência e/ou doença mental, apensamento para cavalos privados, aulas de equitação individualizadas para crianças e adultos, desenvolve atividades integradas no âmbito do Parque Biológico da Serra da Lousã, como o passeio de charrete e a iniciação à equitação.

O Parque Biológico da Serra da Lousã, inaugurado 2009, já recebeu a visita de 175.000 pessoas e vários prémios nacionais por ser um exemplo de boas práticas e de empreendedorismo social. A componente social de empregabilidade, ocupação e atividade terapêutica para cerca de 75 pessoas com deficiência e doença mental, normalmente excluídos do mercado de trabalho regular, fazem destes projetos referências nacionais.

Foi um cavaleiro e treinador deste Centro Hípico que representou Portugal nos Jogos Paralímpicos de Atenas, na primeira vez em que o país esteve presente na categoria de equitação adaptada.

É neste espaço único que, no dia 12 de junho, terá lugar a 1ª Prova do XX Campeonato Equestre de Saltos de Obstáculos, organizado e realizado em parceria com outros Centros Hípicos da região (Espinhal, Figueiró dos Vinhos, Guia e Montemor-o-Velho).

Comentários