Animação de loading

Um espetáculo surpreendente que revelou a integração plena dos utentes

Festa de Natal da Área da Saúde Mental na Fundação ADFP

26 Dezembro 2013

Quem se deslocou ao Salão de Festas da Fundação ADFP de Miranda do Corvo, para a Festa de Natal da Área da Saúde Mental, familiares dos utentes inclusive, terá ficado certamente surpreendido pelo espetáculo natalício de que os próprios foram os principais protagonistas, revelando a sua plena integração na comunidade, na tarde de 14 de Dezembro.

Cerca de 150 pessoas assistiram então a uma encenação de Eugénia Colaço, dinamizada pelos utentes, sobre a invenção do presépio. Depois foi a vez de Glória Correia, responsável pela Residência Coragem – uma das várias áreas residenciais da instituição dedicadas à saúde mental - em Miranda do Corvo, Godinhela ou Rio de Vide - interpretar duas célebres canções de Joe Dassin e Bárbara Streisand.

Os ânimos aqueceram ainda mais quando Rita Francisco, vocalista do grupo "5 ProFado", se juntou a um excelente intérprete do repertório de Zeca Afonso, que além de doente mental é também invisual, o César Jesus, para cantarem, acompanhados de André Santos, "Canção de embalar" e "Tudo isto é fado".

Foi então que todos os presentes aproveitaram para cantar os parabéns a um emocionado e feliz César Jesus, que a todo o momento repetia que "passaram 27 anos desde a morte do Zeca Afonso".

Rita Francisco atuaria ainda a solo, interpretando "Amor a Portugal" (Dulce Pontes), e em dueto com Manuel Jesus, a canção espanhola "Perdoname".

A animação atingiu o rubro com duas coreografias de Francisco Silva (Professor de Educação Física), que levou estes utentes muito especiais a darem o máximo de si mesmos, com constantes movimentações e uma entrega total à própria dança, que provocou demorados aplausos.

Glória Correia voltou ao palco para interpretar a "Ave Maria" de Schubert, antes de um lanche final partilhado por utentes, familiares, técnicos e colaboradores desta valência da instituição mirandense, que conseguiu provocar em todos os presentes uma grande emoção, pela forma como os utentes com doença mental considerados mais graves e profundos, se envolveram no espetáculo.

Ainda antes do final da festa, os utentes das Residências Esperança e Igualdade, subiram ao placo com todos os colaboradores e cantaram "A todos um Bom Natal".

No fim da festa e em nome do Conselho de Administração da Fundação ADFP, Aires Caetano agradeceu "a todos os que a tornaram possível e a todos os que a abrilhantaram".

Comentários