Animação de loading

PARQUE BIOLÓGICO DA SERRA DA LOUSÃ RECEBE VISITANTE 30 MIL DE 2019

Principal atrativo turístico de Miranda do Corvo já recebeu mais de 280 mil visitantes em 10 anos de atividade

13 Janeiro 2020 | Turismo

O Parque Biológico da Serra da Lousã recebeu este Domingo, dia 15 de Dezembro, o visitante número 30 mil de 2019. Maria Alice Fernandes, residente em Miranda do Corvo, visitou o Parque Biológico acompanhada pela filha e pela neta, a residir na Austrália. A Professora, visita constante do Parque, foi presenteada com um Voucher válido para visitar o Parque Biológico e o Templo Ecuménico Universalista que irá oferecer a familiares.

Surpreendida e muito feliz pela comemoração, Alice Fernandes recordou com alegria algumas das visitas ao Parque Biológico acompanhada pelos alunos do seu Centro de Estudos, onde, acompanhados pela Bióloga Margarida Soares, tiveram a oportunidade de conhecer e descobrir um pouco mais acerca dos hábitos da fauna selvagem de Portugal.

O Parque Biológico, que em conjunto com o Ecomuseu Espaço da Mente e o Templo Ecuménico Universalista forma o Trivium, conta já com mais de 280 mil visitantes naquela que é a maior amostra de fauna e flora selvagem de Portugal. Ocupando atualmente uma área de 33 000 m2 de Reserva Ecológica Nacional, o Parque situa-se na encosta da Serra da Lousã, em Miranda do Corvo.

O Parque Biológico abriu portas em 2009 e integra um Centro hípico, uma Quinta Pedagógica, uma zona museológica e um labirinto de árvores de fruto. Durante a visita podem ser observadas várias espécies de aves de rapina, ursos pardos (atualmente extintos em Portugal), linces, lobos, raposas, javalis, veados, entre muitos outros animais. O principal objetivo do Parque é a promoção da biofilia e a sensibilização dos seus visitantes para a biodiversidade existente no país e para os fatores que ameaçam a sua sobrevivência.

Propriedade da Fundação ADFP (FADFP), instituição de solidariedade social sem fins lucrativos com sede em Miranda do Corvo, o Parque segue uma lógica de integração e cerca de 70% dos trabalhadores sofrem de algum tipo de doença, deficiência física ou mental. A instituição apoia mulheres/ mães em situação de pobreza, crianças, jovens e adultos com deficiência ou doença mental, idosos doentes em fim de vida, refugiados, pessoas “sem-abrigo”. A FADFP tem vindo a investir nas áreas do turismo e agricultura contribuindo para o desenvolvimento regional e para a sustentabilidade das suas atividades sociais. 

Localizado a menos de 20 minutos da cidade de Coimbra e da belíssima aldeia do Gondramaz, o Parque Biológico é servido por uma unidade Hoteleira – o Hotel Parque Serra da Lousã, e também pelo Restaurante Museu da Chanfana.