Animação de loading

Ex. Ministros Socialistas da Saúde, Presidente da ANF e assessor do PR visitam Hospital Compaixão e a Fundação ADFP

Hoje (dia 13) Chegada prevista às 14h 30m a Sede da Fundação ADFP

13 Fevereiro 2020 | Visitas, Fundação ADFP

Hoje, Quinta vamos receber a visita da Dra. Maria de Belém, ex-Presidente do Partido Socialista, Dr. Adalberto Campos Fernandes, ambos ex-ministros da Saúde de governos socialistas, Dr. Paulo Duarte, presidente da ANF (Associação Nacional de Farmácias) e o Prof. Mário Pinto assessor para a Saúde do Senhor Presidente da República.

Visitarão a Fundação, as valências da sede e o Hospital Compaixão, que continua fechado a aguardar acordos de cooperação com o Governo.

Para o Hospital ambicionamos:

1 contratualizar camas de cuidados continuados de convalescença e de paliativos; salientamos que em todo o Pinhal Interior não há camas de cuidados continuados de Convalescença nem de Paliativos; numa altura em que se discute a eutanásia é inaceitável que não se criem cuidados paliativos.

2 acordo de cooperação para cirurgias e  consultas de especialidades médicas para combater as listas de espera ; os acordos de cooperação assentam no princípio de uma redução de 10% nos custos para o Estado relativamente ao que paga na hospitalização privada. Não percebemos porque a ARS não quer poupar e opta por desperdiçar 10%.

3 atendimento permanente ( urgências ) no período noturno quando os centros de saúde estão fechados ; é lamentável que por situações banais as pessoas do hinterland de Coimbra tenham de recorrer às urgências do CHUC, já imensamente sobrecarregadas e com dificuldade de resposta.

4 convenções para realização de exames complementares de diagnóstico de imagiologia (TAC, radiologia , mamografia , ecografia) gastro (colonoscopia , endoscopia)  cardiologia (ecg, provas de esforço, ecocardiogramas), pneumologia, otorrino, oftalmologia, etc.; não se percebe que a ARS continue a pagar nos privados do sector lucrativo estes exames e não queira fazê-lo numa instituição sem fins lucrativos, fora de Coimbra.

O Hospital Compaixão está instalado em Miranda do Corvo, um dos 3 concelhos mais pobres em PIB per capita da CIM de Coimbra, na Região do Pinhal Interior. Pretende melhorar o acesso aos cuidados de saúde por uma população envelhecida, criar emprego para fixar jovens, contribuir para a coesão do território, uma das prioridades políticas anunciadas pelo Governo. Não se percebe porque o Governo não apoia a abertura do Hospital.

É um Investimento particular, sem fins lucrativos, da Fundação ADFP, reconhecida como de interesse público.

Se a intenção tivesse sido fazer negócio com a saúde a Fundação teria investido numa grande cidade da região e não no Pinhal Interior, em território de baixa densidade populacional.