Animação de loading

Esclarecimento

09 Abril 2019 | Fundação ADFP

Perante factos denunciados pelos dirigentes do Clube Atlético Mirandense, que indiciavam a prática de atos persecutórios e prevaricadores de Miguel Baptista contra a Fundação ADFP e o Hotel Parque Serra da Lousã, informámos o Ministério Público.

O Ministério Público, após investigação, decidiu acusar Miguel Baptista pela prática do crime de prevaricação. Esta decisão do Ministério Público, de acusar o Presidente da Câmara, foi rectificada pelo Tribunal de Instrução.

Hoje, a Senhora Juiza do Tribunal da Lousã decidiu absolver Miguel Baptista da acusação feita pelo Ministério Público.

Após esta decisão, esperamos que não voltem a existir atitudes persecutórias por parte da Câmara Municipal contra a ADFP.

A Fundação ADFP aproveita a oportunidade para sublinhar a vontade em trabalhar pelo desenvolvimento de Miranda do Corvo seja através da criação de respostas sociais inovadoras, criação de postos de trabalho e atração de turistas.

Reforçamos a nossa disponibilidade para, com a Câmara Municipal, independentemente da cor política que a governe, aceitar e promover desafios capazes de elevar o concelho de Miranda do Corvo.

Ao longo da nossa história, sempre que nos sentimos vítimas de abuso de poder, optámos por comunicar os factos aos órgãos judiciais competentes. Assim continuaremos a fazer, na defesa do Estado de direito e na procura de um país mais justo e transparente.

Tags
Comentários