Animação de loading

A Planta do mês é a Videira

No Parque Biológico da Serra da Lousã

A videira, de nome científico Vitis vinífera, amplamente conhecida devido ao vinho que dos seus frutos se produz e, no tempo em que o néctar estagia nas cubas, o Parque Biológico da Serra da Lousã elege-a como espécie do mês. A videira é uma planta trepadeira que pode chegar até 35 metros de altura embora a maioria das suas culturas seja feita como arbusto de 1 a 3 metros, sendo podada anualmente.

Apresenta caules delgados e flexíveis e as suas folhas são caducas caindo após a vindima. Possui gavinhas, uma estrutura que a planta possui com a função de agarrar ramos, galhos e folhas ou qualquer outro objeto que sirva de apoio à planta em crescimento.

Os seus frutos são bagas globosas de paladar doce que podem apresentar várias tonalidades de cor: verdes, amarelas, vermelhas ou purpúrea. Podem ser consumidos frescos, utilizados na culinária ou então consumidas secas (uvas passas).

Uma particularidade interessante sobre a videira é o facto de funcionar de forma distinta da maioria das plantas. Nesta espécie, a alimentação é levada até ao ápice mais distante e daí distribuída por toda a planta, ou seja, os cachos são sempre os últimos a ser alimentados. Por esta razão, quando é necessário desfolhar, esta deve incidir sobre todas as folhas que estão abaixo dos cachos dado que estas nada produzem e apenas consomem alimento.

Esta espécie é a mais cultivada para a produção de vinho na Europa, desde os primórdios das civilizações europeias, dando origem a dezenas de variedades. Em Portugal, algumas das variedades são: Touriga nacional, trincadeira, alvarinho e baga.

O Parque Biológico da Serra da Lousã, através da Fundação ADFP, detém produção vitivinícola com a marca “Terra Solidária” de vinho branco, tinto e rosé, com castas maioritariamente portuguesas de duas regiões vitivinícolas distintas – IG Beira Atlântico Sub-Região Terras de Sicó e IG Terras da Beira.