Animação de loading

São 446 os animais da Quinta Pedagógica e da Vida Selvagem

Parque Biológico da Serra da Lousã fez inventário.

O Parque Biológico da Serra da Lousã, em Miranda do Corvo, tem atualmente 446  animais à disposição dos visitantes, sendo 217 na Quinta Pedagógica e 229 na zona de Vida Selvagem.

A área de Vida selvagem tem com o objectivo ser a melhor coleção nacional de animais que povoam , ou povoaram, o território português continental. Dizemos “povoaram” porque o Parque Biológicos também possui linces e ursos pardos que já não se encontram em liberdade no território português.

Quem quiser conhecer a fauna nacional terá de obrigatoriamente visitar o parque Biológico da Serrar da Lousã.

No sector de Quinta Pedagógica o objectivo é motar e  preservar raças autóctones tradicionais que geraram riqueza e sustentabilidade na agro pastorícia nacional durante séculos.

Na Quinta Pedagógica encontram-se 217 espécimes de 31 espécies: 4 exemplares de Cabra Mocha, 2 exemplares de Faisão Comum e 7 de Faisão Dourado, 14 Galinhas Appenzeller, 13 de Galinha Frisada e 15 de Galinha Amarela, 4 de Galinha Pedrês, 3 Fracas, 12 Garnizés, 2 Galos Polish, 5 de Galinha Sedosa, 11 Gansos, 9 de Pato Mudo, 2 Ovelhas Churra do Minho, 6 Ovelhas Serra da Estrela Branca e 1 Ovelha Serra da Estrela Preta.

Nesta Quinta podem ainda ver-se 6 exemplares de Pato Mandarim, 4 Pavões, 2 exemplares de Pato Branco, 1 Galinha de Água, 1 Perú, 7 Porcos Alentejanos e 11 Porcos Bísaros, 30 Porquinhos-da-Índia, 2 Vacas Barrosã, 1 Vaca Cachena, 2 Vacas Marinhoa, 2 Vacas Minhota, 16 cavalos e 2 Póneis.

Na zona de Vida Selvagem os visitantes deparam-se  com 229 espécimes de 46 espécies: 1 Açor, 1 Águia Calçada, 8 Águias de Asa Redonda, 3 Bufos Reais, 3 Burros, 9 exemplares de Cabra Anã, 5 de Cabra Bravia e 11 de Cabra Serrana, 1 Cão Rafeiro Alentejano e 1 Cão Serra da Estrela, 4 Corujas das Torres e 3 Corujas do Mato, 2 Furões, 2 Gaios, 11 Gamos, 3 Garranos, 6 Ginetas, 3 Gralhas, 8 Javalis, 2 Lamas, 2 Linces, 5 Lobos e 2 Lontras.

Os restantes animais da Vida Selvagem são 6 Milhafres Pretos, 2 Melros, 2 Mochos Galegos, 5 Muflões, 8 Ovelhas Churra do Minho, 20 exemplares de Pato-Real, 1 Pega Rabuda, 1 Peneireiro e 1 Pombo Bravo, 4 Raposas, 15 Rolas Turcas, 5 Sacarrabos, 1 Texugo, 3 Ursos Pardos, 7 Veados, 2 Góbios, 2 Cágados e 2 Ouriço Cacheiro, 11 exemplares de Pimpão, 4 Salamandras, 4 exemplares de Tritão-Marmorado, 2 Lagostins, 5 Rãs Verdes e 20 Tartarugas da Flórida.

O Parque Biológico da Serra da Lousã já foi visitado por mais de 85 mil pessoas e uma das suas característica, únicas em Portugal e no mundo, é criar emprego e postos de trabalho para pessoas com deficiência e/ou doença mental.

O parque biológico não se esgota na vida animal tendo algumas áreas de grande interesse na botânica, onde algumas plantas são muito valorizadas.

È o caso do labirinto vivo de árvores de fruta, uma experiencia única no mundo.

O Parque Biológico para além do seu importante papel no domínio da biofilia e defesa da natureza é uma aposta humanista na criação de emprego de pessoas com necessidades especiais valorizando, pelo restaurante Museu da Chanfana, a gastronomia regional. O Parque possui ainda um conjunto museológico em expansão, com oficinas de artes e ofícios tradicionais onde pessoas com handicap produzem artesanato variado.

À entrada do Parque Biológico, principal  mostra de Vida Selvagem de Portugal, uma frase do Papa Bento XVI – “Se quer cultivar a paz proteja a criação” - mostra que se entra num parque temático diferente, onde os valores da cristandade e do personalismo também residem, para além dos aspectos sociais, ambientais e animais.

Comentários