Animação de loading

Saiba quais são os répteis que pode ver bem de perto

No novo Reptilário do Parque Biológico da Serra da Lousã

As cobras rateiras e de escada são as duas espécies mais frequentes no nosso país. Ambas se alimentam de roedores e não costumam apresentar perigo para o ser humano.

O cágado mediterrâneo encontra-se presente nos nossos rios, no entanto apresenta níveis decrescentes de população devido ao crescimento das populações de tartarugas da Flórida (EUA).

O tritão marmoreado e a salamandra de pintas amarelas são duas espécies mal conhecidas e associadas a mitos que pretendemos assim desmistificar, ao permitir ao visitante observar a sua beleza.

A Centopeia amarela é a maior centopeia presente na Europa, não é um animal perigoso para o ser humano mas pode causar alguns ferimentos e dor com o seu veneno caso sejamos picados.

O camaleão tem a particularidade de mudar de cor de acordo com a temperatura e o meio ambiente em que se encontra. É uma espécie que se encontra restringida, em território nacional, ao Algarve, onde as suas populações se encontram bastante dispersas. No entanto, é possível observá-los nas dunas das várias praias.

Por fim, o dragão barbudo, é um animal que não se encontra naturalmente no nosso país, originário da Austrália. É cada vez mais utilizado como animal de estimação e este casal foi cedido ao parque para alertarmos para o perigo da libertação de espécies exóticas na natureza. Por agora, pode não ter quaisquer estragos mas num futuro próximo, a libertação de espécies exóticas terá consequências semelhantes às da tartaruga da Flórida que está a levar gradualmente à extinção do nosso cágado mediterrâneo.

Os animais presentes no reptilário são assim a Cobra-de-escada, a Cobra rateira, o Camaleão, o Cágado mediterrâneo, o Tritão marmoreado, a Salamandra de pintas amarelas, a Centopeia amarela e o australiano Dragão barbudo.


Comentários