Animação de loading

Pagamento a fornecedores vai ter prazo máximo de 15 dias

FUNDAçãO ADFP INTRODUZ MEDIDA RARA (PIONEIRA? INéDITA?) NO MERCADO NACIONAL

Numa medida rara (pioneira? Inédita?) no mercado nacional, a Fundação ADFP de Miranda do Corvo vai passar a pagar aos seus fornecedores num prazo máximo de 15 dias já a partir de Novembro.

Esta medida, em contraciclo com a realidade nacional, em que os prazos de pagamento variam habitualmente entre os 60 e 90 dias, (e onde há grandes empresas a impor prazos dilatados aos pequenos fornecedores abusando da sua posição dominante) tem como principal objectivo a dinamização do comércio do concelho e da região proporcionando aos fornecedores maior liquidez em curto espaço de tempo.

A fundação ADFP privilegia, sempre que possível, os fornecedores locais e da região contribuindo para a criação de emprego indireto e para a sustentabilidade dos seus parceiros.

A fundação ADFP assume a responsabilidade de privilegiar parcerias de negócio com empresas do concelho ou da região  que reforcem a coesão social.

A medida de pagamentos a 15 dias surge na sequência do objectivo da administração de melhorar os seus serviços de contabilidade e gestão.

Num período de crise e fundamental reforçar mecanismos de controlo interno que evitem perdas de receitas e imponham maior controlo nas despesas.

O objectivo da Fundação ADFP e garantir um serviço de contabilidade "ao dia", com controlo eficaz de receitas e despesas, que permita uma efetiva analise de custos internos, por centro de custos. 

A fundação ADFP, que tem sido capaz de inovar em muitas respostas sociais, tendo por essa razão obtidos vários primeiros prémios nacionais que lhe dão o estatuto de exemplo de boas práticas, pretende ter um serviço de contabilidade e gestão que seja de excelência.

Objectivo tanto mais de salientar porque a responsabilidade das áreas de topo , ao mais alto nível da hierarquia interna na contabilidade , são desempenhadas por pessoas com deficiências motoras e neurológicas.

O objectivo e provar que pessoas com handicaps podem ambicionar desempenhos de excelência. 

Para garantir um nível elevado de transparência e controlo a ADFP sempre manteve um serviço de auditoria externa por revisor oficial de contas mesmo quando não era a isso legalmente obrigada.

A Fundação ADFP (Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional), conta com 637 colaboradores, incluindo neste número muitas dezenas de voluntários, sem qualquer tipo de remuneração, que desempenham funções regulares e de grande responsabilidade como e o caso da Administração.

Quase 30% dos colaboradores remunerados são pessoas com deficiência.

A instituição tem  relacionamento regular atual com 119 fornecedores. Todas estas empresas que lhe prestam serviços ou fornecem produtos vão beneficiar nas suas tesourarias desta medida de pagamento a 15 dias.

A ADFP sabe que poderia dilatar e impor prazos dilatados aos fornecedores, como fazem outras grandes empresas com posição dominante, mas prefere optar por uma postura ética, e socialmente responsável, que contrarie, pelo exemplo, a falta de escrúpulos que impera em certos círculos de negócios incluindo os financeiros.

IPSS com mais de 25 anos de experiência, a ADFP apoia crianças e jovens em risco social, mães vítimas de maus tratos, pessoas com deficiência ou doença mental e idosos, numa lógica de convívio intergeracional, criando emprego e ocupação, com respostas inovadoras na área social, visando o desenvolvimento local sustentável. Utilizam regularmente os seus serviços 3.400 pessoas, dos quais 390 são residentes de todas as idades e tipo de problemática social, num exemplo único de inclusão, integração e convívio intergerações. A fundação fornece 1700 almoços em cada dia útil, número justificado por servir as crianças de algumas escolas do concelho de Miranda, através de um protocolo com a Câmara Municipal.

Comentários