Animação de loading

O novo colégio bilingue visa um “ensino de excelência”

Colégio de S. Martinho de Coimbra dá lugar ao St. Paul’s School

Associado ao St. Peter’s School, colégio bilingue de Palmela, o St. Paul’s School tomará o lugar do Colégio de S. Martinho, já a partir de Setembro, visando um “ensino de excelência”.

O mentor da ideia foi Jaime Ramos, presidente do Conselho de Administração da Fundação ADFP, de Miranda do Corvo, que em 29 de Julho de 2016 adquiriu o Colégio de S. Martinho, evitando que ele fechasse as portas.

Jaime Ramos não está sozinho neste projeto bilingue português/inglês, que promete um ensino de excelência e tem condições para tornar-se “uma escola de referência a nível dos melhores colégios privados de Lisboa e Porto”.

Com ele traz um novo sócio, Diogo Simão, um dos donos do St. Peter’s International School, de Palmela/Setúbal, que tem 1100 alunos e funciona com pleno êxito há 30 anos, a mesma idade que a Fundação cumprirá em Novembro.

Jaime Ramos citou entre outras, uma das máximas por que se rege a Fundação ADFP, “acreditamos que o sucesso coletivo depende da valorização dos talentos e capacidades individuais” para depois revelar a parceria estratégica com o St. Peter's School, “aquela que nos parece ser a melhor escola bilingue no País”.

“O St.’ Paul’School será uma escola bilingue, português /inglês , que não se esgota nestas duas línguas. Ao longo dos ciclos de ensino, os alunos aprenderão também latim, fundamental a um domínio linguístico de excelência, espanhol e alemão”, acrescentou.

E o que será o novo St.Paul’s School? “Uma escola privada, sem apoios do estado, em que os custos da escolaridade serão assumidos pelas famílias”, disse Jaime Ramos, sublinhando que um “ensino de excelência terá um preço justo a assumir por aqueles pais que querem e podem investir no sucesso dos seus filhos, sem estarem dependentes da Escola Pública:

“Queremos uma escola de excelência a nível pedagógico, que prepare crianças poliglotas para vencerem num mundo cada vez mais global e competitivo”, concluiu.

A génese do projeto e sua razão de ser

O seu novo sócio, Diogo Simão, explicou a génese do projeto e sua razão de ser:

“De acordo com estudos de mercado realizados, existe em Coimbra procura para um projeto com um conceito diferenciado e uma proposta integrada de educação. Esse foi o ponto de partida desta aventura, que alia o know how do Dr. Jaime Ramos e da sua obra humanista, ao do St. Peter’s School, nossa inspiração e nossa referência”, afirmou.

“O St. Peter's, é um colégio que sem qualquer tipo de apoio explícito ou implícito, em pouco mais de 20 anos, graças à determinação e trabalho árduo dos seus fundadores, alcançou os lugares cimeiros do nosso ranking nacional de escolas”, acrescentou.

Com efeito, a partir do Jardim de Infância, a língua inglesa entrará no quotidiano dos jovens alunos do St’Paul’s, que terão diariamente aulas de inglês e em inglês com professores qualificados que tenham o inglês como língua materna ou como uma das suas línguas maternas. O mesmo acontecerá com os alunos dos primeiro e segundo ciclos, que terão aulas diárias de inglês, em grupos constituídos em função do nível de cada aluno.

Para Diogo Simão, a expressão "cada aluno” afigura-se “adequada para introduzir outra missão do colégio que nos é particularmente cara: a individualidade de cada aluno. No nosso colégio, cada aluno é único e inteiro, e não alguém que nos é confiado unicamente para adquirir bons resultados escolares. Os nossos alunos são-nos entregues para muito mais”.

Exemplos? Atividades extracurriculares desportivas, nomeadamente râguebi, e culturais; apoio e acompanhamento atento de psicólogos e professores devidamente qualificados e rigorosamente selecionados.

Numa vertente mais prática e logística, o colégio disporá de serviço de transporte para os alunos, bem como de um refeitório que servirá alimentação de qualidade, certificada no âmbito do codex alimentarius.

Meritocracia proporcionará bolsas de estudo a quem não pode pagar

Jaime Ramos daria em detalhe o que o St.Paul’s oferece às famílias: excelência nas instalações, que começámos já hoje a remodelar até à abertura do ano lectivo, excelência na qualidade alimentar e excelência na segurança das crianças.

“Para facilitar o papel das famílias, será criado um sistema de transporte entre a residência e o colégio, extensivo a concelhos vizinhos, uma vez que acreditamos que pais residentes nos municípios limítrofes também quererão que os seus filhos tenham acesso a um ensino de excelência”, destacou.

“Ainda em Abril, depois das férias escolares, abriremos inscrições.

Em Setembro abriremos infantário com creche e pré-escola e ensino do primeiro ao quinto ano de escolaridade. Nos anos seguintes abriremos a partir do sexto ano, para garantir a continuidade dos estudos, especificou Jaime Ramos.

O mentor deste novo projeto que promete dar que falar, revelou que o preço praticado “será o mais alto entre as várias instituições privadas da cidade” mas, interrogado sobre se o St. Paul’s School será só para quem tiver recursos para o pagar, Jaime Ramos declarou que se “ abrirão excepções, para aqueles alunos muito bons que não têm recursos, através de um sistema de bolsas de estudo”.

Todo o colégio será totalmente remodelado, para proporcionar condições de alto nível, e naturalmente, alunos e vigilantes terão direito, como é uso nos grandes colégios privados às respectivas fardas.



Comentários