Animação de loading

O Burro é o animal do mês de Dezembro.

No Parque Biológico da Serra da Lousã

O Burro (Equus asinus) é um animal doméstico da família dos equídeos. Distingue-se dos outros equídeos por ter as orelhas muito desenvolvidas, cauda nua na sua inserção e terminada por um tufo de crinas, pelagem geralmente cinzenta e com uma lista dorsal e outra transversal formando uma cruz sobre as espáduas. 

A estrutura dos burros varia consoante o clima e a raça, tendo em média, no nosso país, 1,35 a 1,45 metros de comprimento, medido de entre as orelhas à origem da cauda, e 1,10 a 1,15 m de altura ao nível das espáduas. 

É um animal originário de regiões semi-desérticas e adapta-se a viver sob as mais diversas condições, climas, tipos de relevo e habitats. Também é um animal gregário, ou seja,  não deve ser mantido sozinho, sendo sempre preferível mantê-lo em grupo. Caso não seja possível, poderá ser mantido com um animal de outra espécie (cavalo, cabra, ovelha, entre outros).

Regra geral, a alimentação de um burro deve ser abundante e variada, composta por feno ou palha, ração própria para equinos, pasto caso possível ou alimentos frescos como o caso das cenouras, nabos ou maçãs.

A sua origem e evolução continua a ser um mistério hoje-em-dia constatada no facto de não se saber ao certo quando ocorreu a sua domesticação. 

Na Europa admite-se que a sua chegada ocorreu no quinto milénio antes de Cristo tendo-se expandido por todo o continente até à idade antiga clássica.

A crescente mecanização da agricultura e o desenvolvimento dos transportes retiraram utilidade aos asininos, tornando-se numa espécie em vias de extinção.

Durante a visita é possível conhecer alguns dos animais selvagens que vivem no território nacional bem como muitos animais caraterísticos das quintas portuguesas. Assim, o parque é um local de visita obrigatória para todos aqueles que querem saber um pouco mais sobre a fauna e flora portuguesas ao mesmo tempo que abraçam este projeto social.

Comentários