Animação de loading

Movimento Cívico de Coimbra, Góis, Lousã e Miranda

Dia 03 de junho (domingo) – 09h15 – Caminhada Lousã – Miranda do Corvo (pelo trajeto do Ramal) – “Metro a metro se constrói o Metro” – “carril a carril se reconstrói o Ramal” manifestando o nosso descontentamento relativamente ao processo do Metro Mondego/Ramal da Lousãe pela inexistência de carris e catenárias. Em Setembro será feita a avaliação ao trabalho da comissão.

 

IMPORTANTE: Os interessados devem inscrever-se nas  Câmaras e Juntas de freguesia. Vai haver transporte assegurado a partir das 8h 30 de Miranda para Lousã e no final da caminhada para a  viagem de regresso. Se houver interessados serão feitos também transportes de Moinhos, Serpins e outros locais. Sem inscrições atempadas não é possível organizar transportes. Inscrevam-se já.

 

      I.        Na segunda feira, dia 28, pelas 21H 30, no centro social comunitário de Miranda do Corvo teve lugar uma reunião alargada  do Movimento Cívico de Coimbra, Góis, Lousã e Miranda, para avaliar a manifestação/reunião de Lisboa do dia 23 e para agendar e programar as próximas ações e nomeadamente a caminhada/corrida prevista para o domingo dia 3/6 entre Lousã e Miranda.

 

     II.         Foi decidido que o movimento irá estar vigilante relativamente aos prazos. Foi decidido conceder três meses para comissão apresentar conclusões. O facto de Carlos Encarnação ser o presidente da Comissão é fator de confiança uma vez que abandonou a câmara de Coimbra em protesto pela lentidão da concretização do processo metro Mondego. Seguramente que vai estar empenhado em provar que é possível uma concretização célere, sem mais desperdícios.

 

   III.         O facto de os Presidentes de Coimbra, Lousã e Miranda terem assumido participar na Comissão é um dado importante pois têm legitimidade democrática para pôr o dedo no nariz de alguns técnicos. Foram sucessivos erros nas opções técnicas das empresas públicas de transportes que colocaram o investimento Ramal /Metro nesta situação de risco na concretização, permitindo decisões políticas muito questionáveis.

 

    IV.         Findos os três meses, que terminam no final de Agosto, o Movimento analisará a resultado do trabalho da comissão e se houver atrasos ou falta de eficácia na elaboração das conclusões será organizado, logo no início de Setembro, uma manifestação/evento público com grande repercussão na opinião pública nacional

 

Relativamente à caminhada/corrida:

 

1.       Que a caminhada seja uma festa com imensa participação. Quem gostar de romarias vai animar e divertir-se. Quem não gosta de romarias e prefere funerais deve participar na mesma podendo manter um ar fúnebre.

 

2.       É uma oportunidade de confraternização entre novos e velhos, netos e avós, desportistas e comodistas.   Se houver gente que queira afazer o percurso em corrida deve voltar a trás, acompanhado os mais demorados,   para se chegar em pelotão a Miranda.

 

3.       Vão haver atletas, pessoas em cadeiras de rodas,   bebes em carrinhos, desportistas e gente sem hábitos de treino.

 

4.       Os que acham que o governo Sócrates foi irresponsável, destruindo os carris sem garantia de financiamento para a obra, são livres de o afirmar tal como aqueles que acham que o Passos é culpado porque ainda não cumpriu a promessa feita já um ano, em Miranda, na campanha eleitoral.

 

5.       Quem defende que o sistema de transporte deve ser sobre carris (chamem - lhe metro, comboio, ramal, automotora como cada um quiser) e ligar Serpins a Estação velha em Coimbra, não deve ficar em casa.

 

6.       Pede-se as pessoas que se aperaltem adequadamente, com roupas e calçado adequado, podendo cada um usar os slogans que entender sempre  de acordo com o objetivo: “Metro a metro se constrói o Metro” – “carril a carril se reconstrói o Ramal”

 

7.       Até domingo, cheios de boa disposição.

Comentários