Animação de loading

Luís Lopes falou sobre combate ao desperdício

Gestor da ARCIL em ação de sensibilização sobre eficiência na Fundação ADFP

O gestor da ARCIL (Associação para a Recuperação de Cidadãos Inadaptados da Lousã) Luís Lopes, falou sobre gestão económica interna, melhoria da eficiência e combate ao desperdício, para um público de coordenadores, técnicos, diretores de serviços e responsáveis de área, da Fundação ADFP.

A sessão de formação teve lugar no dia 14 de Março, na sala de conferências do Hotel Parque Serra da Lousã, em Miranda do Corvo.

Luís Lopes começou por distinguir entre eficiência e eficácia, chamando a atenção para estudos económicos que indicam que “95% da actividade organizacional é considerada desperdício, não trazendo valor acrescentado para o cliente/utente”.

“Compete aos dirigentes e colaboradores – acrescentou- analisar e avaliar procedimentos internos, por forma a diminuir o desperdício. O desperdício é tudo o que num processo operacional não traz mais-valia para o cliente”.

“Muitas das vezes a simplificação de procedimentos rentabiliza os resultados finais”, afirmou o dirigente da ARCIL que, posteriormente, enumerou algumas ferramentas de gestão passíveis de utilizar, para melhorar os procedimentos e resultados operacionais.

Sobre os desperdícios, Luís Lopes referiu os mais comuns, os transportes desnecessários, movimentações, excesso de inventário, períodos de espera, acidentes, entre muitos outros.

O gestor referiu também algumas estratégias “não negociáveis” que são imprescindíveis à eficiência no trabalho, método de trabalho padronizado, fluxo contínuo, distribuição de trabalho balanceada, controlo de gestão visual, prazos de entrega e “Fifo” (Fist in first out).

No fim da formação a que assistiu Jaime Ramos, presidente do Conselho de Administração da Fundação, e também o gestor executivo Rui Ramos, foi sugerido que seja agendada daqui por um mês uma nova ação, para discutir os resultados práticos desta ação nas várias áreas da instituição. Os presentes devem, com criatividade e participação dos colaboradores das equipas, realizar "trabalho de casa", descobrindo melhorias no aumento da eficiência e combate ao desperdício.

Comentários