Animação de loading

Homenagem à Liberdade no Espaço da Mente

Cravos “humanizados” para os visitantes

No dia 25 de abril irão ser dados a todos os visitantes, do Parque Biológico da Serra da Lousã e Templo Ecuménico Universalista, cravos vermelhos, como símbolo da Liberdade, mas lembrando que é um direito humano.

Neste sentido, vão estar personalizados com uma mensagem alusiva à liberdade. Uma frase ou desenho, realizado “livremente” por crianças do Centro Infantil e Centro de Atividades de Tempos Livres, alunos da Formação Profissional e utentes do Centro de Atividades Ocupacionais, que juntamente com o maior símbolo da Liberdade em Portugal – cravo – humaniza a mensagem, que muitas vezes cai na erudição.

No Espaço na Mente vai estar patente uma exposição fotográfica "Liberdade de Sorrir". Uma sessão fotográfica realizada pelos alunos da Formação Profissional e Centro de Atividades Ocupacionais, pessoas com necessidade especiais, que fica exposta até ao dia 3 de maio - Dia Internacional da Liberdade Imprensa – dia, também, em que faremos o III Encontro de Imprensa.

O Espaço da Mente é um museu dedicado à liberdade. A primeira liberdade evocada é a liberdade de amar e a última, de alma. No percurso apresentam-se as liberdades mais comuns: liberdade política, de pensamento, de imprensa, de religião, e a de crer e de não crer, entre outras.

O desenvolvimento da Mente diferencia-nos de todas as outras espécies, permitindo a materialização do pensamento, apenas possível com a exigência/existência da Liberdade. Não há desenvolvimento ou civilização sem Liberdade.

O Museu Espaço da Mente faz parte do conceito filosófico Trivium, a par do Parque Biológico da Serra da Lousã e do Templo Ecuménico Universalista, e que dá nome a um Clube UNESCO desenvolvido entre a Fundação ADFP e a Comissão Nacional da UNESCO.

O Trivium é dedicado à liberdade, igualdade e fraternidade: o Parque Biológico representa o corpo e a igualdade do Homem perante todos os seres vivos; o Espaço da Mente, o desenvolvimento da mente e a liberdade de pensar e o Templo Ecuménico, independentemente da fé de cada um, revela o espírito e a fraternidade assumindo -se como monumento memorial de todas as vítimas dos fundamentalismos ao longo dos séculos.

O Trivium já recebeu mais de 230 000 visitantes.

Trata-se de um inovador “negócio social” destinado a criar postos de trabalho para pessoas vítimas de exclusão laboral, com deficiência ou doença mental.