Animação de loading

Fundação ADFP serve 30 refeições diárias.

Cantinas sociais para o programa de emergência alimentar.

A Fundação ADFP de Miranda do Corvo está a servir atualmente 30 refeições diárias, graças ao protocolo assinado no âmbito da convenção da rede solidária de cantinas sociais assinado com o Instituto da Segurança Social – IP.

O protocolo assinado em Fevereiro de 2013 aumentou de 65 para 100 o número de refeições diárias previstas num primeiro documento datado de Julho de 2012, maioritariamente consumidas ao domicílio.

As 30 refeições correspondem a 12 agregados familiares num total de 23 pessoas. Um número tão reduzido de refeições terá a ver com o facto de quem já recebe ajuda do Banco Alimentar ou do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados, ficar excluído deste protocolo das cantinas sociais, embora também se registem situações de pobreza “envergonhada”.

As pessoas ou agregados familiares interessadas em usufruir das cantinas sociais podem candidatar-se por iniciativa própria junto da Fundação ADFP ou ser encaminhadas por entidades como a Câmara Municipal, Juntas de Freguesia, párocos, a quem a instituição mirandense enviou ofícios.

De acordo com os protocolos assinados, o Instituto da Segurança Social – IP comparticipa financeiramente com 2.50€ por refeição podendo a Fundação ADFP cobrar até 1 euro consoante o rendimento da pessoa ou agregado familiar.

Cantinas sociais para o programa de emergência alimentar.

Fundação ADFP serve 30 refeições diárias.

A Fundação ADFP de Miranda do Corvo está a servir atualmente 30 refeições diárias, graças ao protocolo assinado no âmbito da convenção da rede solidária de cantinas sociais assinado com o Instituto da Segurança Social – IP.

O protocolo assinado em Fevereiro de 2013 aumentou de 65 para 100 o número de refeições diárias previstas num primeiro documento datado de Julho de 2012, maioritariamente consumidas ao domicílio.

As 30 refeições correspondem a 12 agregados familiares num total de 23 pessoas. Um número tão reduzido de refeições terá a ver com o facto de quem já recebe ajuda do Banco Alimentar ou do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados, ficar excluído deste protocolo das cantinas sociais, embora também se registem situações de pobreza “envergonhada”.

As pessoas ou agregados familiares interessadas em usufruir das cantinas sociais podem candidatar-se por iniciativa própria junto da Fundação ADFP ou ser encaminhadas por entidades como a Câmara Municipal, Juntas de Freguesia, párocos, a quem a instituição mirandense enviou ofícios.

De acordo com os protocolos assinados, o Instituto da Segurança Social – IP comparticipa financeiramente com 2.50€ por refeição podendo a Fundação ADFP cobrar até 1 euro consoante o rendimento da pessoa ou agregado familiar.

Comentários