Animação de loading

Fundação ADFP foi a única presença portuguesa no Brasil

Reunião da Rede Ibero-Americana de Fundações Cívicas e Comunitárias

A Fundação ADFP de Miranda do Corvo, representada por Nancy Rodrigues, do Gabinete de Imagem e Parcerias, foi a única presença portuguesa na reunião da Rede Ibero-Americana de Fundações Cívicas e Comunitárias, que decorreu nos dias 7, em Florianópolis, e a 8 de Novembro em São Paulo, com uma congénere espanhola, uma uruguaia, uma mexicana e três brasileiras.

Em Florianópolis realizou-se o encontro do grupo de Tecelões da Rede, ao qual a FADFP pertence, única portuguesa, que reúne com maior frequência, habitualmente de forma virtual, para a identificação de oportunidades e delineamento de ações no sentido de ampliação e fortalecimento de FCC na região.

A transferência da administração da Rede da Fundação Bertelsmann (Espanha) para o Instituto Comunitário Grande Florianópolis (Brasil) em Junho de 2013, e o consequente alargamento da rede ibérica para a américa latina, trouxe a necessidade de refletir sobre oportunidades da Rede e como ampliar e fortalecer o movimento das fundações comunitárias na nossa região. Discutiu-se sobre a missão, critérios que regem a admissão de fundações cívicas e comunitárias, plano de comunicação interno e externo, e representatividade da Rede, atualmente através de uma plataforma virtual. De acordo com a experiência de cada um e o perfil das suas organizações foram elaboradas propostas para agora serem apresentadas e discutidas dentro de toda a Rede.

No dia 8, em São Paulo, foi a vez do encontro com organizações ligadas à filantropia no mundo e com alguns investidores sociais no Brasil.

A Mott Foundation e a Synergos Institution (de que Peggy Dulano é fundadora e presidente) apresentaram casos práticos de investimentos sociais com base filantrópica no Mundo, e colocaram à discussão algumas considerações e princípios básicos da prática filantrópica. Embora haja diferenças no modus operandi e no contexto de ação - território e comunidade - existem dificuldades comuns, nomeadamente a ausência de uma cultura de doação e o desencontro entre a 'agenda' de investimentos sociais do governo, das comunidades e dos investidores sociais. Salientou-se a importância de um trabalho gradual, dirigido e em articulação com as comunidades locais, em que o papel das organizações é a ponte que medeia a comunicação entre a população e os investidores sociais, numa dialética onde as parcerias são fundamentais e visam um maior e melhor apoio com o fortalecimento de comunidades vulneráveis.

A Rede Iberoamericana de Fundações Cívicas e Comunitárias é constituída por 34 organizações de Espanha, Portugal, Brasil e México, das quais só duas são portuguesas, tendo a FADFP sido admitida em Março do corrente ano.

Comentários