Animação de loading

Fundação ADFP comemora 34º aniversário

Fundação ADFP comemora 34º aniversário

15 Novembro 2021 | Fundação ADFP

Fundação ADFP comemora 34º aniversário com vasto programa

Inauguração do Hospital Compaixão atraiu todas as atenções

 

A 6 de Novembro de 1987, em Miranda do Corvo, surge a Associação para o Desenvolvimento e Formação Profissional através das mãos de um grupo de cidadãos entusiastas pela causa publica e pela solidariedade social, com o objetivo de contribuir para a formação de pessoas com deficiência e doentes mentais. Evoluiu ao longo dos anos, apoiando doentes crónicos, crianças, jovens, mulheres grávidas ou com filhos, vitimas de maus-tratos, refugiados, sem-abrigos e idosos. 34 anos depois, a agora Fundação ADFP (Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional), continua a investir em pessoas através da criação e inovação de respostas sociais, e comemorou o seu aniversário com cerca de uma centena de convidados, entre presidentes dos municípios limítrofes, fundadores, colaboradores, amigos e beneméritos

O dia iniciou-se cedo com o momento solene de hastear a Bandeira da nação na Fundação ADFP com a presença de elementos do Conselho de Administração e colaboradores.

Deslocando-se a comitiva até à localidade do Senhor da Serra, iniciou-se a primeira inauguração com o destapar da placa da Residência Bondade/RAMa, para utentes com doença Mental. Após visita às recém-inauguradas instalações por parte de todos os presentes que, além dos presentes anteriormente, acresceram Luís Martins e Mário Joaquim representantes da Junta Freguesia de Semide e Rio de Vide, o presidente do Conselho de Administração da Fundação tomou a palavra referindo que a unidade já se encontrava pronta para entrar ao serviço da comunidade há cerca de um ano, mas apenas teve autorização da ARS Centro para entrar em funcionamento este ano. Estando pronta para receber 24 pessoas, podendo chegar a 30 se necessário dado a importância e falta de oferta neste setor, apenas abrange 12 utentes até ao momento por não terem sido indicados mais utentes por parte das autoridades de saúde. Dessa forma, a unidade não pode trabalhar com todo o seu potencial, dificultando e diminuindo o trabalho que se poderia realizar com os utentes.

O programa avançou com duas homenagens sentidas por todos os presentes de duas pessoas ilustres no seio da Fundação ADFP. A primeira homenagem decorreu na Residência Coragem, onde a Drª Rosa Calisto exercia a sua profissão de médica. Com muita emoção a diretora Glória Pires descreveu a Drª Rosa como uma profissional e pessoa exemplar ao longo de toda a sua carreira e na passagem pela Fundação ADFP, inicialmente como médica ginecologista das utentes ali presentes. A sua bondade chegou a todas e todos com quem ela privou deixando saudade e, de forma a ser lembrada por todos, foi afixada uma placa com o seu nome junto do seu antigo gabinete, destapada pela sua filha notoriamente emocionada com a homenagem.

A esta homenagem, seguiu-se a consagração a um dos fundadores primordiais da Associação, falecido no princípio do ano corrente. Representado pela família, através da esposa, filha, genro e neto, o Sr. Aires Caetano foi homenageado com emoção e saudade por parte de todos os que se encontravam no Salão de Festas, onde foi afixada a sua presença junto a de outros fundadores e beneméritos da entidade. Comovida pelos anos de história comum enquanto Presidente da Câmara de Miranda do Corvo, enquanto colaboradora da Fundação ADFP e enquanto pessoa, a Drª Fátima Ramos, descreveu num sentido discurso a pessoa bondosa, justa e fraterna que o Sr. Aires representava para todos, contando algumas histórias partilhadas entre os dois.

Às 11h00 iniciou-se a inauguração mais ansiada e mediática do programa: a inauguração do Hospital Compaixão. Esta unidade, encontra-se pronta para operar há 2 anos, no entanto, não se encontra em funcionamento por falta de acordos com o Ministério da Saúde.

Para a inauguração do Hospital Compaixão juntou-se à comitiva que já vinha a aumentar ao longo do programa, vários membros da comunicação social da região, várias forças políticas da região sendo a figura de maior destaque o Presidente do Município de Coimbra que se deslocou da cidade a uma das vilas do seu concelho, mostrando que a Câmara de Coimbra apoia e quer estar perto dos municípios do seu distrito. O recém-eleito Professor José Manuel Silva ladeou o Presidente do Conselho de Administração da Fundação ADFP, Dr. Jaime Ramos, a Vice-Presidente do Município de Miranda do Corvo, Drª Marilene Rodrigues e a Engenheira Gabriela Morais, responsável pela obra a ser inaugurada no destapar da bandeira que deu início ao momento da inauguração.

A Engenheira Gabriela Morais, tomou a palavra para iniciar o momento dos discursos, apresentando a obra, confirmando a sua importância e necessidade para todos os que possam usufruir desta unidade de cuidados.

Por parte do Município de Miranda do Corvo, a Vice-Presidente reforçou mais uma vez o apoio para a abertura na sua total função, não apenas de forma monetária. Referiu a importância que esta unidade hospital trará para o município e concelhos próximos.

Tomando a palavra o Dr. Jaime Ramos, apresentou o seu agradecimento pela presença de todos, em especial do Presidente do Município de Coimbra porque considera que o sucesso de um município como Coimbra advém não apenas do mesmo, mas de todos os concelhos limítrofes que o circundam.  No seu discurso, recordou o moroso e difícil processo que a abertura do Hospital Compaixão tem sofrido, sem ser considerado por parte das atuais forças políticas do governo. O presidente do Conselho de Administração ao longo destes dois anos de não funcionamento do Hospital Compaixão travou uma luta de ferro com os poderes políticos para conseguir acordos semelhantes aos que outras IPSS da região centro obtiveram (Oliveira do Hospital, Anadia, Ansião e Mealhada). Acordos esses que permitiam aos habitantes de Miranda do Corvo e dos concelhos próximos um acesso moderno e rápido a cuidados, exames e tratamentos de saúde, poupando tempo e dinheiro nas deslocações a unidades privadas a Coimbra. O Hospital encontra-se apetrechado com equipamentos de última geração, que permitiam uma melhoria significativa nos cuidados de saúde da região centro e da região desfavorecida do Pinhal Interior. Permitia também libertar as infinitas listas de espera para consultas e cirurgias de especialidade dado que está dotado de salas cirúrgicas prontas a operar.

No dia de inauguração, apesar de não ir funcionar em pleno, Jaime Ramos informou que o Hospital irá iniciar a sua atividade com um acordo com a Segurança Social para 20 camas de cuidados continuados, fruto de um financiamento para a região que seria desperdiçado caso não existisse esta possibilidade, bastando a ARS Centro dar luz verde a esta cooperação. Mais uma vez, reforçou a importância da Ministra da Saúde e das entidades de saúde, visitarem e reconhecerem o Hospital Compaixão como uma necessidade e uma mais-valia para o Pinhal Interior, cada vez mais desfavorecido. Na área de ação deste Hospital, os cuidados paliativos e de convalescença, não existe nenhuma cama nesta região, estando o hospital Compaixão preparado para receber mais de 3 dezenas de doentes nestas condições. Após a aprovação da lei da eutanásia, estes tipos de unidades tornam-se ainda mais prementes de estar acessíveis à população pelo que deverá ser agora o tempo de agir e criar os acordos com esta unidade pronta a funcionar.

De forma a comprovar a mensagem passada nos discursos, a comitiva visitou os vários setores do Hospital Compaixão de forma a verem de perto a qualidade das instalações e o desperdício das mesmas estarem de cadeado na porta. As mensagens de todos os intervenientes foram de apoio à luta da Fundação ADFP para conseguir finalmente abrir esta unidade hospitalar.

O programa prosseguiu com as últimas homenagens do dia, no Parque Biológico da Serra da Lousã. O primeiro local visitado foi o Picadeiro do Centro Hípico onde foram descerradas duas homenagens aos dois Engenheiros que trabalhavam no local e que faleceram prematuramente. O Engenheiro Pedro Faria, relembrado pelo seu trabalho como diretor do Parque Biológico desde a sua génese e pela sua forte ligação aos cavalos. Mais tarde juntou-se o Engenheiro Victor Araújo, nestes e outros projetos da Fundação ADFP vocacionados para a parte agrícola. Ambos foram homenageados em conjunto como os promotores da ideia que deu origem à área agrícola da Fundação ADFP, cada vez mais promissora entre vinhos e produtos agrícolas e endógenos.

Na zona superior do Parque Biológico foi criada uma avenida intitulada “Passeio da Gratidão” onde são homenageados os fundadores, beneméritos e amigos da Fundação ADFP ao longo dos seus anos de desenvolvimento. Em outros aniversários outras personalidades importantes foram exaltadas mas, como parte da comemoração do 31º aniversário foram homenageadas duas pessoas de relevo desde a génese da Fundação, a professora Maria Amália Casaleiro e a professora Isabel Rodrigues e, ainda uma personalidade incontornável do panorama nacional e que teve um contributo ímpar como conselheiro estratégico, o Dr. António Arnaut. Estiveram presentes vários familiares e amigos que ajudaram a apresentar as placas comemorativas das personalidades referidas.

Por fim, a comitiva presente no programa de aniversário terminou a festividade com o almoço de aniversário no Hotel Parque Serra da Lousã, uma unidade de 4 estrelas vocacionada para famílias e com quartos preparados para pessoas com mobilidade reduzida.

Comentários