Animação de loading

Fundação ADFP acolhe 3 das jogadoras da seleção de futebol feminina do Afeganistão

Fundação ADFP acolhe 3 das jogadoras da seleção de futebol feminina do Afeganistão. A Fundação ADFP acaba de acolher duas famílias e uma jovem de 17 anos.

15 Novembro 2021 | Social, Refugiados

Um total de 9 cidadãos afegãos, dos 251 que Portugal acolheu através do corredor de emergência aberto após a ocupação dos talibãs.

Estão instalados em dois apartamentos no Edifico do Cinema, a Residência Paz.

Nestas famílias encontram-se 3 das jogadoras da seleção de futebol feminina do Afeganistão, que devido á restrição de vistos, quatro por jogadora, tiveram que deixar elementos do agregado familiar para trás.

Os mais jovens, num total de 9, entre os 16 e 20 anos, já se encontram, uns, integrados no Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo, outros, terão que ser encaminhados para um Centro Qualifica.

No Agrupamento de Escolas de Miranda do Corvo ficam, formalmente, no que podemos chamar ano “zero”, todos na mesma turma para se manterem juntos e com a mesma carga horária. O principal objetivo é aprenderem português, melhorarem a sua aprendizagem no inglês, artes, educação física, técnicas de informática e adquirirem outras competências.

A dificuldade com os ingressos ao nível do ensino superior impõe a frequência dos restantes jovens num Centro Qualifica.

Os dois adultos já se encontram matriculados num Curso PLA (Português Língua de Acolhimento).

A Fundação já tem uma experiência de 7 anos no acolhimento de refugiados, que são apoiados durante 18 meses com recurso a verbas europeias. No caso destes refugiados afegãos ainda não foi estabelecido um protocolo por ter sido, a nível nacional, um acolhimento de emergência. Para fazer face ás suas despesas pessoais, foi acionado um apoio por parte da segurança social.

O Sr. Esmatullah Ramzi, um dos refugiados, engenheiro eletrotécnico, considera Miranda do Corvo um “paraíso junto à serra” é salientou que não estão habituados a tanta calma.

Tags
Comentários