Animação de loading

Mentes Brilhantes - Cerimónia de encerramento do ano letivo 21/22 decorreu mais uma vez "brilhantemente"

No Hotel Parque Serra da Lousã, em Miranda do Corvo, foram parabenizados todos os alunos, e destacados os mais “brilhantes”, juntamente com os seus familiares

27 Junho 2022 | Educação e Formação

Com o final do terceiro período o projeto Mentes Brilhantes da Fundação ADFP encerrou em grande mais um ano letivo “brilhante”, na presença de mais de 150 pessoas que se juntaram na sala de conferências e lobby do Hotel Parque Serra da Lousã, para um momento de celebração com sentimento de missão cumprida.  

Destacando o importante papel dos vários parceiros do projeto, pudemos contar com a presença da Dr.ª Marilene Rodrigues, Sr.ª Vice-Presidente do Município de Miranda do Corvo; da Profª. Margarida Santos, do Agrupamento de Escolas; da Dr.ª Lara Branco, da Associação de Pais; do Dr. Rui Vital, Administrador da Caixa de Crédito Agrícola de Coimbra; do Dr. Paulo Silva, gerente da Caixa de Crédito Agrícola de Miranda do Corvo; e do Dr. Jaime Ramos, Presidente do Conselho de Administração da entidade promotora e gestora do projeto: a Fundação ADFP. A todos, foram endereçadas pelas três monitoras deste ano letivo – Dr.ª Margarida Soares, Dr.ª Francisca Raimundo, e Dr.ª Célia Santos, um “profundo agradecimento por estes anos brilhantes que têm sido um verdadeiro sucesso”. Esse mesmo sucesso, é fruto dedicação e profissionalismo das monitoras, da colaboração e união entre todos os parceiros e, claramente, do empenho dos mini-cientistas. 

Ao longo dos três anos do projeto, a Caixa de Crédito Agrícola tem sido um parceiro indispensável subsidiando custos do projeto e pela atribuição de um prémio de 250€ aos 10 melhores alunos do projeto. Contudo, importa salientar que por melhores alunos não se inclui apenas as notas académicas, mas também as suas participações na comunidade e o escalão social. 

Do Quadro Brilhante 2021/2022, as monitoras Margarida, Francisca, e Célia entregaram prémios aos alunos: Valentim Dias, Estevão Santos, Esperança Caetano, Maria Borges, e David Costa (do Centro Educativo de Miranda do Corvo), Francisco Ferreira e Miguel Marreco (Escola dos Moinhos), Nikita Maystrenko (Escola da Pereira), Matilde Roque (Escola de Lamas), e Rodrigo Marques (da Escola Ferrer Correia, em Semide). 

Não esquecendo também o Quadro Brilhante 2020/2021, (uma vez que devido ao Covid não se efetuou cerimónia )estiveram presentes as antigas monitoras Rita Lemos e Rita Carvalho, que entregaram os prémios aos alunos Rodrigo Alexandre (da Escola de Semide), Maria Rita Santos (da Escola da Pereira), Joana Mendes ( da escola de Vila Nova), Maria Cancela (da Escola dos Moinhos), Beatriz Antunes (da Escola Ferrer Correia), Gabriel Santos, João Santos, Maria Maia Rodrigues, e Maria Inês Sousa (do Centro Educativo), e Lourenço Dias (da Escola de Lamas). 

«Após dois anos de interregno desta cerimónia, conseguimos finalmente voltar a juntar as mentes brilhantes neste momento que finaliza um ano cheio de muita ciência, experiências, descobertas, surpresas e acima de tudo sorrisos. Diariamente no nosso laboratório os mini-cientistas vestiram cada um a sua bata, consultaram o manual que contém os protocolos experimentais, seguindo as suas instruções para fazer as várias experiências e atividades que propomos. O objetivo é que eles coloquem “as mãos na massa” e, ao longo do avançar do projeto, sejam cada vez mais autónomos na realização das experiências. Devido ao atraso do programa POISE apenas nos foi possível iniciar o projeto no 2º período deste ano letivo, tendo adaptado os três temas para que pudessem conhecer um pouco do mundo de cada uma destas ciências, desde os vulcões e sismos, aos fósseis, ao pH, às nossas células e ao ADN, à fauna e flora portuguesa e muito mais que, certamente foram ouvindo em casa ao longo destes meses. Mas, temos de pedir desculpa aos pais aqui presentes. Desculpem as mãos sujas com corantes. Desculpem os pedidos de compras de produtos como vinagre, bicarbonato de sódio ou até couve roxa. Desculpem o entusiasmo em quererem repetir em casa as experiências feitas connosco durante o dia, prometemos que são todas fáceis de repetirem!», destacou Margarida Soares, coordenadora e monitora do Projeto “Mentes Brilhantes”. 

«Como psicóloga, o meu objetivo é descobrir talentos especiais e escondidos nas crianças abrangidas pelo projeto. Para isso, articulo com os professores titulares quais os alunos que se destacam no decorrer do contexto escolar, seguidamente as monitoras do projeto vão-me indicando os alunos que se destacam nas sessões. Nem sempre, os que se destacam nas aulas, são os mesmos que se destacam nas nossas sessões e é aí que o projeto é uma mais-valia para descobrir os talentos e áreas fortes das crianças. Com estas crianças, tenho uma sessão em que passo o teste WIISC para avaliação do QI de acordo com a idade e, posteriormente essa informação integra o Quadro Brilhante. Este prémio não premeia apenas as notas escolares pois o Agrupamento já tem o seu quadro de mérito para premiar os alunos de excelência a nível escolar. Aqui queremos premiar a inserção das crianças na comunidade através das atividades em que participam, o comportamento nas nossas sessões, a postura perante os desafios criados com as experiências, as respostas aos questionários das sessões, o QI, as notas escolares e também o escalão social. Devido à interrupção desta cerimónia durante a pandemia, no primeiro ano os alunos receberam a notícia via carta como prenda de Natal e, os alunos do ano transato encontram-se aqui hoje para receber o seu prémio em conjunto com os alunos deste ano letivo. Mas, o projeto não é apenas para os mais crescidos! Aqui presentes estão também os nossos “Matemáticos Brilhantes” – a turma dos 5 anos do Centro Infantil da Fundação ADFP.», referiu Francisca Raimundo, Psicóloga do projeto salientando desta maneira que o verdadeiro e importante papel que este mesmo projeto tem é o de potenciar os talentos dos alunos, combater o abandono, promover o sucesso educativo, e incentivar o gosto pela matemática e pelas ciências, palavras também proferidas pelo Dr. Jaime Ramos.  

 «Vários estudos indicam que quanto mais cedo se iniciar a aprendizagem dos números e das suas combinações, menos “bicho papão” será a Matemática nos anos escolares seguintes. Com o intuito de permitir uma melhor preparação para os alunos do concelho, o projeto atua também a nível do pré-escolar com uma sessão semanal sobre Matemática, abordando temas como o conceito de número, as somas e subtrações, conceitos como dentro e forma, leve e pesado, e muitos outros. Foram momentos únicos de descoberta por parte destas crianças que são o nosso futuro e acreditamos que essas aprendizagens seguirão com eles para a nova etapa que se segue.», salientou Célia Santos, também monitora do projeto. 

Foi notória a felicidade dos pequenos cientistas ao receber os seus diplomas de participação após um longo ano de experiências, novos conhecimentos e novas aprendizagens. 

Um dos objetivos da Fundação é alargar e expandir este o projeto "Mentes Brilhantes" a outros níveis de ensino e aos vários concelhos limítrofes, para que os alunos e alunas desses mesmos concelhos tivessem também estas oportunidades e experiências, mas infelizmente tal não tem sido possível.  

Contudo, a Fundação ADFP espera continuar o trabalho que tem feito até agora de, através deste projeto, detetar crianças sobredotadas que não estejam a ser devidamente valorizadas no sistema de ensino: "Temos um sistema de ensino público que apoia, e bem, as crianças com dificuldades de aprendizagem, mas que não valoriza os alunos com maior potencial intelectual. Esse papel, que está a ser feito por nós, tem de continuar a ser feito pela comunidade. A Escola, a Câmara, têm o dever de continuar a valorizar e potenciar os talentos destes alunos considerados especiais", declarou Jaime Ramos.  

Por todos os membros presentes dos diversos parceiros, e pelos pais, familiares e encarregados de educação que estiveram a assistir à cerimónia, foram endereçadas palavras de apreço, congratulação e louvor ao projeto e à FADFP, pelo desenvolvimento do mesmo e por estes 8 anos de um projeto que foi, é e continuará certamente a ser muito brilhante.