Animação de loading

Exemplo do sucesso de integração dos refugiados acolhidos na Fundação ADFP

Grupo de eritreus a caminho de uma integração plena

Do grupo de 11 eritreus que a Fundação ADFP de Miranda do Corvo acolheu entre 8 e 15 de fevereiro de 2018, nove adultos jovens e duas mulheres, 5 já têm contrato de trabalho assinado com empresas da região.

3 colaboram  em atividades de voluntariado em diversas valências da ADFP enquanto não surge uma oportunidade de trabalho .

Um recupera de um traumatismo com fratura de um membro e dois não se adaptaram no emprego proposto.

A Fundação mantém contactos com empresas para conseguir emprego para 5 que ainda não encontraram trabalho.

Este é um exemplo de como o objetivo da Fundação no acolhimento aos refugiados e sua integração, encontrou a fórmula certa para este grupo: trabalhar competências pessoais e sociais, nomeadamente, a aquisição da língua portuguesa, inserção em formação profissional e em atividades ocupacionais, para posterior integração no mercado de trabalho. 

Desde o início do programa a Fundação ADFP acolheu 16 pessoas em Penela, 32 em Miranda do Corvo e 11 em Rio de Vide, num total de 59 pessoas. 

A Fundação ADFP considera ser um exemplo a nível nacional no empenho de acolher e integrar pessoas refugiadas fora das grandes cidades. 

A Fundação ADFP sente também que é seu dever colaborar com o Governo neste desígnio de bem acolher pessoas refugiadas. Portugal, país de emigrantes, deve ser um exemplo de tolerância e respeito pelas pessoas com culturas e religiões diferentes.

A Fundação ADFP contactou algumas câmaras da região para colaborar com o Governo no acolhimento.

As experiências em Miranda e Penela foram bem-sucedidas mas a Fundação ADFP considera que deve acolher noutros concelhos desde que as autarquias estejam interessadas em colaborar.

Sem apoios das autarquias a Fundação não alargará o acolhimento humanitário a mais pessoas refugiadas.

Tags
Comentários