Animação de loading

... em seis concelhos do Distrito

Serviço comunitário DiferenteMENTE, IgualMENTE, da ADFP em seis concelhos do Distrito.

A Fundação ADFP inicia no dia 15 de Abril o projeto de Apoio Domiciliário na Saúde Mental, Serviço Comunitário, em parceria com a Direção Geral de Saúde.

 

O Serviço Comunitário é constituído por uma Equipa Domiciliaria de Saúde Mental , da qual fazem parte uma psicóloga, técnico de serviço social  e  enfermeiro. Destina-se a pessoas com doença mental que, com o apoio domiciliário, podem manter-se na sua residência, junto da família e vizinhos, prevenindo recaídas e evitando novos internamentos.  A área geográfica de intervenção inclui Coimbra, Condeixa-a-Nova, Lousã, Miranda do Corvo, Penela e Vila Nova de Poiares. 

 

A Fundação ADFP teve em funcionamento, nos anos de 2008 a 2010, o Serviço Comunitário, resposta domiciliária integrada, multimunicipal, em seis concelhos do distrito de Coimbra. Nessa a altura beneficiavam de acompanhamento cerca de 80 utentes com doença mental grave.

 

Dificuldades económicas obrigaram o anterior Governo a cancelar o apoio a este serviço comunitário. A credibilidade da fundação ADFP permite agora o reinicio deste projeto, mesmo num período de grave crise económica e com muitas restrições orçamentais por parte do Estado.

 

Uma política de saúde mental não pode prescindir de boas respostas comunitárias, que facilitem a integração e inclusão das pessoas com doença psiquiátrica. È fundamental criar condições para que a pessoa com doença psiquiátrica possa continuar integrada junto da comunidade, vizinhos e família. È importante  humanizar o apoio aos doentes psiquiátricos e combater o estigma que durante séculos condenou a doença mental á “guetização”, ao ostracismo e ao tratamento em hospitais asilares , com grades nas janelas e trancas nas portas tipo prisão.

 

Para além desta resposta comunitária , a Fundação ADFP integra pessoas com problemas de saúde mental nas valências destinadas a pessoas com deficiência ou doença crónica incapacitante, designadamente nas valências de Fórum Sócio Ocupacional, Centro de Actividades Ocupacionais e Formação Profissional.

 

A Fundação ADFP desenvolve um projeto pioneiro DiferenteMENTE, IgualMENTE, que integra varias respostas residenciais, adaptadas ao nível de dependência e capacidade de integração de cada pessoa, respostas ocupacionais e agora este serviço comunitário. A Fundação ADFP já recebeu vários prémios nacionais pelo trabalho inovador com pessoas com doença mental, sempre numa lógica de inclusão e combate á marginalização.

 

No futuro, a ADFP pretende continuar a apostar na inclusão da pessoa com doença mental, procurando adaptar os serviços existentes às características individuais de cada doente.  A ADFP aposta em  desenvolver novas formas de intervenção para responder melhor às necessidades das pessoas com doença mental grave, respeitando orientações técnicas de elevada qualidade, mas que não prescindem da bondade dos prestadores.

Comentários