Animação de loading

Doentes da Residência Igualdade socializam no café da aldeia

Doença Mental

Alguns dos doentes psiquiátricos vindos do Hospital do Lorvão durante o mês de Julho, considerados os casos de doença mental muito grave, atualmente a residir na Fundação ADFP de Miranda do Corvo - Residência Igualdade em Rio de Vide, começam a socializar com a população envolvente.

Estes doentes estavam há décadas institucionalizados e impedidos de uma vida em contacto com a comunidade.

A ADFP aposta em cuidados dedicados aos doentes mentais graves que apostem na humanização, no respeito e na dignidade da pessoa, seja ou não doente.

A segregação e a “guetização” são práticas condenáveis, que a ADFP pretende contrariar, investindo nas pessoas, com bondade.

No passado dia 9 saíram da Residência e puderam ter uma manhã diferente. Foram ao café da aldeia, o café da D. Tila, onde permaneceram por bastante tempo a tomar o pequeno-almoço e a confraternizar com os clientes habituais daquele espaço que pareciam agradavelmente surpreendidos com a presença destas pessoas especiais.

Segundo as Técnicas responsáveis por estes utentes, Ana Rita Dias, Assistente Social e Sónia Marques, Psicóloga, as atividades de socialização como as idas ao café e os passeios pela aldeia promovem a interação/integração destes utentes com o meio envolvente sendo de extrema importância para que se acabem os preconceitos e estigmas associados às pessoas com doença mental.

Ainda, segundo as técnicas,estas atividades de convívio no exterior vão ser realizadas no mínimo semanalmente para benefício dos utentes.

Comentários