Animação de loading

Cotoneaster

Planta do mês de Janeiro

Além do azevinho e da gilbardeira, outra planta tem roubado as atenções das decorações de natal: o cotoneaster ou, cientificamente, Cotoneaster horizontalis. Esta espécie apresenta frutos vermelhos de forma redonda que são cada vez mais utilizados em arranjos natalícios.

A planta do mês do Parque Biológico da Serra da Lousã é então uma planta arbustiva, lenhosa com uma forma irregular, com ramagem aberta, ramificada, de porte baixo entre 1 a 2 metros de altura. Os ramos são arqueados, horizontais e com ramificações secundárias à semelhança de espinhas-de-peixe. As folhas são pequenas, ovaladas, alternas, coriáceas e de cor verde-escura, mas adquirem belos tons alaranjados no outono e inverno.

As flores surgem na primavera, e são axilares, de cor rosa claro e, apesar de pequenas, são muito abundantes e ornamentais. Elas atraem todo tipo de polinizadores, de abelhas a borboletas. Os frutos formam-se no verão, mas são duráveis, podendo ficar por todo outono e inverno na planta, a não ser que sejam devorados antes por ávidos passarinhos.

Deve ser cultivado sob sol pleno, em solo fértil, bem drenável, leve, enriquecido com matéria orgânica e irrigado periodicamente. Tolerante a podas, que devem ser realizadas no inverno com o objetivo de retirar ramos mortos, doentes, ladrões e malformados, estimular o adensamento ou corrigir a simetria da copa que pode “descompensar” para um dos lados. Apesar do aspeto natural ser informal, esta planta pode ser podada em formas geométricas para utilização em cercas.

No Parque Biológico da Serra da Lousã e no recentemente inaugurado Hotel Parque Serra da Lousã é possível observar inúmeros exemplares desta espécie!

Comentários