Animação de loading

Conferência de Imprensa | Ministro Educação: Misógino, fundamentalista religioso ou sectário e prepotente?

Segunda 19 às 11 h e 30 na Residência Fraternidade do Centro Social Comunitário

Ministro Educação: Misógino, fundamentalista religioso ou sectário e prepotente?

Medidas tomadas pelo Ministro da Educação prejudicam gravemente as crianças e jovens residentes da Fundação ADFP.

Queremos esclarecer se as atitudes discriminatórias do Ministério da Educação, contra estas crianças, são intencionais ou simples incompetência.

A Fundação ADFP – Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional convida V.Ex.ª para uma conferência de imprensa relativamente à suspensão do destacamento dos professores que apoiam as crianças e jovens em regime residencial na ADFP.

A Fundação exige saber se a decisão do ministro:

1 é misógina por a adfp apoiar meninas e não só rapazes;

2 se assenta em razoes de fundamentalismo religioso , uma vez que somos uma instituição laica não dependente da igreja católica nem confessional;

3 se assenta numa visão sectária e persecutória contra pessoas com necessidade especiais um vez que apoiamos jovens com deficiência e/ou doença mental.

Recordamos que a ADFP foi a única instituição do concelho de Miranda do Corvo que foi confrontada com a decisão do Ministro de cancelar o destacamento de professores de apoio. As outras duas instituições existentes no concelho continuam a ter professores destacados.

A Fundação ADFP exige saber a razão desta discricionariedade e desigualdade de tratamento uma vez que apoiamos mais crianças que as outras instituições.

Não queremos crer que está atitude se deva ao facto de apoiamos crianças especiais (refugiadas e com deficiência é doença mental) mas a falta de esclarecimento do Ministro impõe que se fique com a dúvida.

A Fundação ADFP tem tentado obter esclarecimentos sobre estas questões mas o Ministro tem-se recusado a responder as nossas solicitações pelo que precisamos do apoio da opinião pública para impedir que o Ministério da Educação continue com esta prática com indícios de crime de abuso de poder.

A Fundação ADFP respeita o Governo mas não tolera ser tratada de forma arrogante e injusta porque os principais Lesados são as crianças e jovens.

Comentários